inspiration2

True Blood - 4x02 - You Smell Like Dinner

Eric sem dúvida continua dominando a cena em True Blood. É inegável que a química entre ele e Sookie atinge níveis proibidíssimos, mas n...


Eric sem dúvida continua dominando a cena em True Blood. É inegável que a química entre ele e Sookie atinge níveis proibidíssimos, mas nessa review começaremos falando sobre Bill.

“Rei William Compton de Louisiana”. É assim que Bill é declarado por Nan Flanagan, adama de ferro da AVL (American Vampire League ou Liga de Vampiros Americana). Este episódio nos mostra de que lado, afinal de contas, Bill está: o dele mesmo. Ele omitiu verdades da Sookie no passado, e agora faz o mesmo com a Nan (mesmo sob ameaça de morte). Do final da 3ª temporada para cá, no entanto, ele não guarda mais segredos da garçonete-fada. Mas para nossa grande surpresa, é ela que não está mais interessada nos negócios do ex.

Bill foi declarado como rei, e age como tal. E nos assuntos de Vossa Majestade estão asbruxas de Bon Temps. Seguindo a informação dada pela sua infiltrada, King Bill ordena Súdito Eric a fazer uma “averiguação”, ou em palavras de rei, “o que for necessário”. Assistindo a cena a gente até acha engraçado dois vampirões conversandopreocupadíssimos sobre algo perigosíssimo:

Estão fazendo magia negra, Eric. Ressuscitaram um pássaro.

Mais antes que você possa completar sua risada:

Controlando os mortos, poderão nos controlar.

Aí então está explicado. A preocupação de Bill parecia apenas um capricho ao exigir que Eric cuidasse da situação pessoalmente, mais diante da explicação o vampiro “crazy tall” compreende as implicações da revelação dada pelo rei. Inclusive, ele solta a possível informação de que na Inquisição bruxas controlavam vampiros pela magia, o que ele sabe por experiência própria.

Continuando em Bill, ele teve dois flashbacks que nos mostraram o fim da luta entre ele e a rainha Sophie-Anne, e também o momento de seu recrutamento pela AVL. 

Em 1982 Nan recrutou Bill como “vampiro espião”, sendo que sua tarefa era infiltrar-se na Monarquia vampiresca e ‘plantar a discórdia’. Ou seja, todo esse tempo Bill não estava trabalhando para a rainha ou para o Xerife Eric, e sim para a AVL. A morte de Sophie-Anne, portanto, veio como consequência desse trabalho. Morte especial, vale ressaltar, com balas de madeira e núcleo de prata, “só o melhor para a rainha”.

Algo bem audacioso que True Blood fez foi colocar Louis Pasteur como vampiro. Lembra dele nas aulas de química? Ele é o cientista que inventou o método da pasteurização. E agora em True Blood ele também está envolvido no processo de criação do sangue sintético (parceria com os japoneses?).

Como eu disse na review do 4x01, nesta série o que está bem agora, no futuro bem não ficará. Jason é, sem dúvida, o que mais experimentou desta lei de True Blood nesses dois episódios. 

Depois de ter sido trancado num freezer, o rapaz descobre que isso é obra da namorada e do cunhado, que querem continuar a “linhagem-pantera”. Como Deus, ou melhor, Alan Ball gosta de ver seus personagens sofrerem, ele coloca o pantera-macho estéril, e assim, a “pobre” Crystal, que é a responsável por manter o sangue de sua espécie vivo, “tem” que transformar o namorado (que é fértil) antes de procriar (para procriar com ele!). 

Com Crystal, Jason perpetua um ciclo de mulheres loucas. Na primeira temporada, ele se envolveu com a Maudette Pickens, que gostava de ter sexo violento com vampiros, e com Amy, que era viciada em V e drenava vampiros como diversão. Na segunda temporada ele se mete com a Sociedade do Sol e acaba se envolvendo com a esposa do Reverendo Steve Newlin, Sarah Newlin, que acusou ele de traidor e ameaçou atirar nele depois que descobriu sobre a existência de Sookie. E na terceira ele conhece a mocinha com cara-de-inocente, Crystal, que, bem... não é tão inocente assim.

Falando em Sociedade do Sol, as manifestações na frente do Fantagsia parecem aumentar cada vez mais. Eles não se contentam em ficar gritando “Steve Newlin estava certo, vocês são demônios da noite” como também partem pra violência num piscar de olhos. Pulando o discurso chato-de-amor do Hoyt-Comedor-de-Vampira, esta é uma situação interessante na série. A “vampirofobia” é um comportamento típico na nossa sociedade quando olhamos, por exemplo, a homofobia. 

(Aquilo que não consideramos ‘normal’ é sempre digno do nosso desprezo e comportamento irracional. Quantas notícias de espancamento de gays nós não ouvimos todo dia? Quantos políticos se sentem prazerosos levantando-se contra as ‘diferenças’ do mesmo povo que o elegeu? É claro que True Blood é fantasia e nem chega perto da realidade do nosso mundo. Mas a série está de parabéns ao mostrar o ser humano como o mesmo idiota de sempre.)

A Arlene e o seu filho amaldiçoado não é um história muito interessante ainda, mais pela cena da “hemorragia no olho” parece que o bebê carrega mesmo a “velha alma” do pai. Só me pergunto o que TB vai fazer para mostrar um bebê amaldiçoado em ação (muitas hemorragias de olho?).

Sam resolveu não aumentar mais o ódio pelo irmão. E num ato de ‘pazes’ parece que os dois vão tentar não confiar um no outro cada dia menos. O problema é conseguir. Sam libertou Tomy dos pais aproveitadores, deu um lar e uma chance de recomeçar para ele. E o que o irmão caçula faz? Rouba o irmão trouxa. Engraçado que Sam, mesmo depois de tudo isso, tem um imenso remorso por ter atirado em Tomy. Não que ele deva sentir prazer, claro. Mas nunca houve confiança nesse relacionamento. E provavelmente não haverá. 

Andy deixou de ser um policial inútil para ser um policial inútil viciado em V. Se tem um personagem em TB que é completamente dispensável é este. Pode ser que seu novo vício tenha maiores implicações no futuro, afinal ele agora é xerife e sai catando V como “evidências”. Mas de tão inútil que ele é, nem sequer percebeu que era Jason gritando. 

Eric, que não é bobo nem nada, comprou a casa da Sookie (e ela também, segundo ele) e construiu uma cripta nela! Ele é terrível! Não que eu duvide das boas intenções do Sr. Northman... mas a construção da cripta já é marcação de território.

Seu sangue tem gosto de liberdade, Sookie. Como raios de sol num lindo recipiente loiro. Podem não saber ainda, mas é o que vampiros sentem ao cheirar você.

Território este que nem foi conquistado ainda. Por mais que Eric fale docemente com Sookie, pedindo para deixá-lo cuidar dela, ela não se rende.

Comprei esta casa porque me importo com você. Se eu quisesse só provar seu sangue de novo, faria isso agora e não haveria nada que você pudesse fazer para me impedir.

Não foi só Eric que provou seu amor por Sookie, mas Pam também provou seu amor por Eric. Este amor de criatura para criador se manteve fiel desde a 1ª temporada. Ou Sookie achou mesmo que Pam iria contra a vontade dele?

Aliás, essa “fidelidade” já ficou bem clara em True Blood. Além de Pam e Eric, Jessica também defende Bill incondicionalmente, e Eric se colocou diante da morte por Godric. A única exceção até aqui foi Bill com Lorena, criação que resultou em morte.

Eric, como bom súdito do King Bill, foi fazer a “inspeção” na Moon Goddness Emporium(loja de magia). A ambição da bruxa Marnie foi exposta bem a tempo da ‘chegada do defunto’. Pelo jeito parece que ela quer praticar seus feitiços no limite da razão e além dele, mas não com a intenção de prejudicar alguém. A postura humilde (e ingênua) dela diante de Eric quando ele chegou e depois que ele saiu é a maior prova disso. Porém essa intenção pode não ser a mesma no futuro, não depois da bagunça que o Sr. Northman aprontou lá.

E quem é que saiu machucado da bagunça? O próprio causador. Eric saiu sem memória, mais pelo menos saiu vivo - ou continuou morto. 

Essa inspeção também serviu de abertura para colocar Lafayette na roda da magia por vontade própria, o que não tinha acontecido ainda. O relacionamento bom e mal que ele mantém com os vampiros já deu muita história em TB,(desde o parceiro sexual e comercial Eddie até as mordidas que Eric já deu nele). Assim, pode ser que o que vai impulsionar Lafa a se tornar um verdadeiro bruxo seja a autodefesa contra vampiros.

De novo então a série fecha com Eric em cena, perguntando por que a Sookie cheira tão bem. Ao que o título do episódio responde: “You smell like dinner”.

Quem sabe agora que ele está desmemoriado e provavelmente sem malícia, uma amizade (ou mais que isso) nasça entre ele e Sookie. Haverá até uma cena de banho entre os dois nesta temporada. Um banho de amigos, como Alan Ball informou. Tá bom, tá bom, eu acredito...


P.S.1: A turminha do Sam-Metamorfo e sua nova namorada ainda está sem graça. Lenda dos Skinwalkers? Vão ter que me dar mais que isso.

P.S.2: A LLLL Tara está de volta. Para o funeral da avó, claro, e não para o funeral de Eric. Inacreditável ela ter tentado matar ele. Já não basta ter falhado uma vez ao esmagar o cérebro do Franklin, ela falha uma segunda (ainda bem!).

P.S.3: Será que Andy é o personagem que morre? Eu torço que sim.
Reações: 

Relacionados

True Blood 4ª Temporada 5661322953304699773

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (1) Comentários via DISQUS

  1. A massage by an expert can alleviate backache, but a health care provider needs for being consulted
    at the earliest, thereafter. Additionally, CAT scans, MRI scans and also a colonoscopy may
    well be administered in an attempts to diagnose this
    situation.

    Also visit my site; Bestventureinc.com

    ResponderExcluir

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item