inspiration2

Revenge - 1x01 a 1x16

A arte da vingança.


A arte da vingança.

Revenge é um antro de cobras, uma série sobre vaidade, traição, poder e memória... a memória viva daquele que foi traído.

A temática já usada em muitas outras tramas – principalmente novelas mexicanas –, ganha novo fôlego na série criada por Mike Kelley (o mesmo criador de Swingtown e co-produtor de One Tree Hill) e exibida pela ABC. Kelley dá uma verdadeira lição de vingança através de Amanda Clarke (Emily VanCamp), uma jovem que teve sua vida destruída quando ainda era pequena. Seu pai foi injustamente condenado pelo crime de Conrad Grayson (Henry Czerny), numa sequência de complôs contra ele que o incapacitaram de se defender e o levaram a ser considerado terrorista para o resto da vida. No meio da história, como não podia deixar de ser, existe uma mulher: Victoria (Madeleine Stowe).
Victoria Grayson é o principal alvo de Amanda e a oponente mais forte que ela poderia ter. No entanto, a “rainha dos Hamptons” também é uma vítima. Como Amanda bem lembra, ela era amante de seu pai, David Clarke (James Tupper), e pretendia deixar o marido para viver com ele. Acontece que depois do crime de Conrad, ela, que não era ninguém até se casar com um homem rico, perderia tudo e criaria seu filho na desgraça. Sua escolha então foi ajudar na incriminação do amante, passando a ser a traidora número um para sua ex-futura-enteada.

Mas nada é tão simples e Charlotte (Christa B. Allen), a filha mais nova do casal Grayson é, na verdade, filha biológica de David, meia irmã de Amanda. A menina não tem nada a ver com toda a sujeira ao seu redor, porém ainda assim é arrastada para ela. O relacionamento dela com a mãe sempre foi ruim, sua preferência pelo pai é clara. Depois da revelação da paternidade, então, ela fica perdida. E mais uma vez tem que provar da amargura do mundo de sua família. 

Abatida pelo divórcio, pela descoberta de que é filha de um terrorista, e iniciando seu vício nas drogas, ela ainda é chantageada pelo avô que oferece a oportunidade dela poder estudar junto com seu namorado, Declan Porter (Connor Paolo), cuja pobreza é o desgosto de Victoria e o combustível desta chantagem. Em troca, Charlotte tem que manter o silêncio de seu sofrimento, não podendo, inclusive, procurar a ajuda médica que precisa.
Tais fatos podem ser classificados como efeitos colaterais das atitudes de Amanda. Amanda, aliás, atende pelo nome de Emily Thorne, identidade comprada por meio milhão de dólares de uma amiga da detenção juvenil. A agora senhorita Emily Thorne cresceu em orfanatos, sendo coagida a pensar que seu pai era terrorista. A coação deu certo. Somente quando ela saiu, aos 18 anos, é que Nolan Ross (Gabriel Mann), o único amigo de seu pai (e agora seu único amigo), contou-lhe a verdade. A partir daí, ela inicia sua preparação para a vingança (apesar do apelo do pai pelo perdão dela para com os outros), começando com a troca da identidade.

A verdadeira Emily Thorne (Margarita Levieva), que agora chamaremos de Amanda Clarke, é aquele tipo de amigo que é melhor manter bem longe. Frank (Max Martini), o leal empregado dos Grayson, descobre sobre quem ela é e a procura para passar tudo a limpo. Ela então o mata, revelando sua impetuosa e inconsequente personalidade. Para melhorar, ela vai direto para a casa de Emily, que está lá com seu namorado: ninguém menos que Daniel Grayson (Joshua Bowman)!

Se já é imprudente levar o rastro de um assassinato para sua verdadeira origem, imagina então ficar sobre este rastro... e é exatamente isso o que Amanda faz. Como se não fosse o bastante, ela resolve cair de amores por Jack Porter (Nick Wechsler), o amor de infância de sua “amiga”. Isso tudo, apesar da infinita insistência de Emily para que ela deixe a cidade, com direito a muito dinheiro e nova identidade.

O engraçado é que chega a um ponto em que Emily tem que tratar Amanda como um de seus alvos. Enquanto se vinga do jornalista Mason Treadwell (Roger Bart), que ganhou a confiança dela mas se vendeu para Victoria escrevendo um livro confirmando o “terrorismo” de seu pai, ela envolve Amanda no roubo e no incêndio da casa dele, fazendo, (mesmo sem intenção), com que Jack seja espancado na sequência (1x12, Infamy). Depois, Emily dispara umas doses de verdade para a amiga que, somente a esta altura, decide que é melhor ir embora. Porém, toda essa tragédia faz o inverso do planejado: mesmo distantes, Amanda e Jack ficam mais conectados.
A relação dos dois, assim como a de Daniel e Emily, não tem cabimento nenhum. O sentimento entre eles pode até ser verdadeiro, mas todo o resto é mentira. No caso de Emily, inclusive, o fato de estar apaixonada pelo filho dos inimigos só serve para tirar seu foco e confundir seu julgamento quando ela precisa ser fria. Já Amanda é completamente desnorteada. Ela realmente acha que pode “ser feliz” e “ter uma família” com Jack enquanto ele pensa que ela é seu amor de infância. Ela chora e esperneia para permanecer ao lado dele, mas mesmo que ele realmente a ame agora, todo esse amor não se tornará em frustração quando ele descobrir quem ela é?

Especialmente porque assim que viu Emily, a verdadeira Amanda, pela primeira vez depois da volta dela, ele já “sentiu” aquele sentimento que aparece só uma ou duas vezes na vida, como ele mesmo descreveu. Contudo, é difícil dizer qual das duas mulheres possuiria seu coração em face da verdade. É enrolação dizer que a presença de Amanda não o confundiu e ainda o confundirá.

Falando em confusão, outro personagem que veio para agitar foi Tyler. Jovem de complexa descrição, ele vivia de se aproveitar dos outros. Ele entrou em Harvard e se tornou amigo de quarto de Daniel, ou melhor amigo, como ele gostava bastante de repetir. Mas assim como sua filiação com Harvard não passava de farsa, toda a sua história não passava de trapaça. Sua família já não era rica coisa nenhuma, e suas intenções na casa dos Grayson passava da obsessão ao ódio por Daniel. Seus esforços eram para tomar o lugar do filho que não queria nada com os negócios de seus pais (Daniel queria ser poeta!), até o ponto em que ele resolveu se virar contra Emily.

Bom, ele não deveria. Mas não se contentando em tomar o lugar de sua obsessão, ele resolveu destruí-lo. Emily era a namorada que ele queria tirar da vida do amigo, o que acabou dando muito errado. Ciente do perigo que Tyler era, ela se concentrou destruir a imagem de bom moço que ele tinha construído. Nada foi tão simples nem tão rápido, e a loucura/obsessão de Tyler o levou a sua morte.

A morte dele fechou o ciclo que começou com o início da festa de noivado mostrada no episódio piloto, e envolveu uma Amanda desesperada, um Jack desorientado, um Daniel perdido, e Satoshi Takeda (Hiroyuki Sanada), o mentor de Emily que a ensinou a arte da vingança.
Satoshi é o verdadeiro assassino, aquele que atirou em Tyler para encurralar Daniel. Ele sempre insiste com Emily que seu relacionamento amoroso só a atrapalhará, e agora ele toma uma segunda atitude sobre isso, sendo que a primeira foi convencer Nolan a trabalhar para ele, vigiando os passos de Thorne. Ele também "deu um jeito" em Amanda, que apareceu na cena do crime e viu Tyler morto. Esta situação coloca em xeque a relação aprendiz-mestre, já que Emily não vai deixar que Daniel apodreça na cadeia... mesmo que isso signifique escolher salvá-lo ao invés de Jack.

Daniel, aliás, ainda pôde ouvir algumas das verdades por Tyler. O desvairado sempre repetia que ela é “um lobo na pele de cordeiro” e contou para Daniel sobre a caixa (com as provas da inocência de David e as lembranças da infância dela) que ela mantinha guardada em segredo. Por pouco ele não consegue encontrá-la, o que restabelece um pouco de confiança dele em sua namorada. Contudo, é a partir desse momento que Daniel passa a compartilhar da sensação de dúvida que sua mãe também tem, quebrando um pouco o disfarce de Emily.

Além dos personagens já citados, Ashley (Ashley Madekwe) se destaca ao se construir pela desgraça alheia. Aparentemente ela é a humilde assistente de Victoria, mas na verdade ela só espera pelo momento certo para usar a vida dos patrões para proveito próprio. Vários já notaram que ela é mais esperta do que fala, e Ashley já se envolveu até com Tyler, acreditando que com ele ela poderia chegar mais rápido ao seu destino.

Emily escolheu se vingar fazendo dos seus próprios inimigos sua arma. Ela usa o poder de Victoria para que ela, inconscientemente, vá se autodestruindo. Primeiro (1x01, Pilot) foi com Lydia Davis (Amber Valletta), que era empregada da Grayson Global na época da prisão de David e foi cúmplice do complô contra ele. Ela se tornou melhor amiga de Victoria e amante de Conrad, o que Emily usou para destruí-la, gerando também seu primeiro efeito colateral: Lydia cai da sacada de seu apartamento numa briga com Frank.

O segundo alvo (1x02,Trust) foi o gerente de fundos de Wall Street, Bill Harmon (Matthew Glave), que também testemunhou contra David. O terceiro (1x03, Betrayal) foi o senador Tom Kingsly (Yancey Arias), que na época era o promotor que condenou Clarke. O quarto alvo (1x04, Duplicity) foi a terapeuta Dr. Michelle Banks (Amy Landecker), que colocou Emily numa instituição depois de Victoria oferecê-la uma clínica privada. Depois de alguns “peões derrubados”, Thorne partiu para o território da rainha, se tornando a mulher dos sonhos de Daniel.
Vale ressaltar o imenso cinismo que existe entre Victoria e Emily. As duas não se suportam, mas por causa de Daniel, as falsas gentilezas são mútuas. Neste raciocínio, assim que o filho disse para a rainha dos Hamptons que queria viver longe de sua família, ela viu uma oportunidade de desacreditar a nora aos olhos dele. Segundo ela, caso a moça não aceitasse o convite de ir embora junto com ele, é porque o verdadeiro interesse dela não era o amor que ele tem a oferecer. E Emily negou o convite... No entanto, agora que ele está sofrendo o processo por assassinato, Victoria pediu que a nora não abandone seu filho para não "transmitir a mensagem errada", o que pode unir (ou separar de vez) as duas.

Como dito no início, Revenge é sobre a arte da vingança. A série consegue executar muito bem sua história, pois mostra não só o lado do vingador, mas também as consequências dos atos de Emily e o fato de que nem tudo ela consegue controlar. Aliás, os efeitos colaterais chegam a um nível tão alto em dado momento que ela até pensa em "pausar" um pouco sua obra. 

É muito inteligente também a forma como ela lida com as situações, sempre calma. Mesmo sob a mira de uma arma, ou de uma pergunta de difícil resposta, ela não se altera. Pensa e age. Pensa e responde. Ela sabe que a vingança tem seu preço. Sabe que o passo errado custa mais caro. E sabe que o passo certo é tudo o que ela precisa para atingir seus inimigos sem que eles saibam de que direção a destruição vem.


Observações:

- David morreu 6 semanas antes da saída de sua filha da detenção juvenil. A única prova de sua morte é a palavra de Nolan. E como isto é Revenge, vale lembrar: a falta de evidências é uma evidência.

- Nolan para Emily (1x10, Loyalty): "É bom que seu pai já se foi... porque pelo menos assim ele não pode ver no que você se tornou".

- Emily é rica porque seu pai investiu na empresa de Nolan, da qual ela possui agora 49%.

- Daniel se envolveu num acidente de carro que deixou sua então namorada paralítica. Seus pais subornaram o juiz que cuidou do caso, visto que ele estava bêbado no acidente. A juíza do caso de Tyler já deixou claro: ela não pode ser comprada.

- O crime de Conrad foi mandar dinheiro para os terroristas que derrubaram o avião.

- Com muito custo Emily conseguir tirar as evidências do assassinato de Frank de perto de si. Primeiro ela levou o rastro para a família Grayson e depois o colocou sobre Tyler.

- Justamente quando Emily pensou em dar uma pausa em sua vingança, Victora sai com a história de ter sido estuprada por David. Aí já era. 

- Até mesmo o advogado de divórcio de Victoria, Ryan Huntley (Jame McCaffrey) é controlado por Emily. Ele foi de grande serventia ao alterar o exame que a rainha fez para ver se Amanda era quem ela dizia ser mesmo.

- As perucas da protagonista são quase uma piada da ABC. É só colocar uma peruca que Emily pode circular por Hamptons sem ser “reconhecida”, ou mesmo enganar seu atual namorado, que não faz “ideia” de já ter visto a moça no passado.

- Os Grayson irão atrás do "homem de capuz" que Charlotte e Declan viram na cena do crime. Mas antes dele, irão atrás de Amanda. Jack também vai, disposto a encontrá-la antes deles, especialmente porque agora ele tem o comprovante da tranferência que Emily fez para Tyler, posteriormente roubado por Amanda.

- Funcionária do Ano: Ashley publica as fotos da cena do crime e "luta" para tirá-las da rede.

- Esta é a foto que Tyler mostrou para Daniel, com alguns dos alvos marcados por Emily (clique para ampliar):
Reações: 

Relacionados

Review 9008100597301321310

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (0) Comentários via DISQUS

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item