inspiration2

Nikita - 3x01 - 3.0 (Season Premiere)

Diva Nikita está de volta.


Diva Nikita está de volta.

Passado o surto pela volta de Nikita, mais a terceira vez seguida de ver “3.0”, chegou a hora de recomeçar o nosso sofrimento. A Season Premiere marcou sabe quanto na demo? 0.3. Sabe quanto isto significa em milhões? 0.95. Ou seja, apenas 950.000 pessoas assistiram a estreia da terceira temporada de Nikita, e isto indica que enfrentaremos todo o cancela-não-cancela de novo.

A CW até cogitou mudar o dia da exibição da série. Para quem não sabe, sexta-feira é o buraco negro da TV americana. E lá está Nikitinha, passando no horário das 9 da noite. Acabou que o canal desistiu da mudança e manteve tudo do mesmo jeito. A exigência que fizeram para tentar aumentar a audiência foi que Craig Silverstein, o showrunner, voltasse ao esquema da primeira temporada, onde o procedural tinha mais espaço do que as tramas centrais.

Quem é fã de Nikita sabe que a coisa ficou boa mesmo foi a partir do segundo ano, quando descobrimos milhares de coisas sobre os protagonistas. Claro, esta é uma série que tem toda a estrutura para casos semanais, e a reviravolta da última Season Finale abriu mais espaço ainda para que tudo voltasse a ser como no começo. Ainda assim, não dá para deixar de sentir aquele gostinho de perda, porque sem dúvida é muito mais interessante saber sobre Nikita e sua trupe do que sobre bandidos aleatórios.

Contudo, em circunstância alguma isto significa que a série perde sua graça. Para começar, eis que Alex agora é rica e poderosa, estilo que combina muito bem sua pose de perua de madame. Sean está lá ao lado dela, óbvio, cumprindo seu eterno papel de escudeiro. Muito espertamente, o episódio nem tocou no assunto do romance dos dois e do tal encontro que ele passou o 2×23 todinho pedindo. Em compensação…

Michael pediu Nikita em casamento. Nossos corações de shippers pararam neste momento e precisaram de socorro médico para voltar a bater. Tudo isso porque seu Craig não se contentou em fazer um pedido normal para o casal-mais-que-perfeito. O tal do anel deu tanto trabalho que quando ele finalmente foi parar no dedo de Nikita fiquei esperando ela dizer: my precious. Aliás, a cara dela de surpresa-ternura-paixão quando Michael pediu a arma e falou que era para pegar a anel de noivado da amada foi simplesmente impagável. Em certo momento pensei que ela ainda teria frescuras por não terem uma vida ordinária… mas graças a Deus os dois estão em perfeita sintonia, a ponto de ela nem deixar ele terminar de fazer a proposta. É muito amor.

O mesmo não se pode dizer dela e de Ryan. É claro, mas é claro que os dois iriam se estranhar. A gente conhece bem nossa Nikita querida e se tem uma coisa que ela nunca vai deixar de ser é mandona. Não há mulher mais mandona no universo. Tanto é que na hora que ela o chama de “boss” soa tão irônico que chega a ser engraçado. E talvez ela nem tenha a intenção de usar a tal figura de linguagem.

O que ela não sabe, no entanto, é que ele está com a arma na cabeça. A presidente não gostou nada da bagunça feita em Hong Kong e tratou de reforçar suas ameaças à inexistente Division. Cá comigo, fico pensando que seria muito mais fácil se Ryan abrisse o jogo de uma vez por todas com Nikki. Para que ficar fazendo segredo? Esse negócio de esconder coisas tão importantes só vai destruir o relacionamento dos dois.

Só que também tem o fato de que ela é inteligente e poderia chegar a esta conclusão sozinha. O que ela acha que vai acontecer se a Division incomodar o governo americano? Como Fletcher disse, ela não está lutando apenas pela própria sobrevivência mais. A Nikita que fez aquele discurso de “vamos lutar por nossas vidas” no 2×23 deveria entender isso melhor do que ninguém. Honestamente, fiquei com um pouco de dó do Ryan por ter que enfrentar desta forma alguém que ele tanto preza.

Agora partindo para a grande trama da temporada, temos o Dirty 30, o grupo de agentes fugitivos que se negaram a voltar para a Division depois da morte de Percy. No meio da bagunça, temos Amanda que, como não poderia deixar de ser, está usando a Division contra si mesma, fazendo os agentes pensarem que a única coisa que os espera é a sentença de morte. Mas verdade seja dita, é mais fácil de acreditar nisso do que na versão de que o governo vai dar liberdade e dinheiro para um bando de assassinos recomeçarem a vida, certo?

E no mais, acaba que o que ela disse vai se tornar verdade. Caso eles não aceitem a liberdade, a próxima opção é a morte. Uma dupla de opções pra lá de irônica.

O primeiro agente a encarar tais opções foi Martin, um assassino com um gosto refinado de cinema. Simplesmente derrotá-lo seria muito comum, então a série aproveitou a situação e fez questão de evidenciar que Nikita é o que é e faz o que faz porque tem amigos. E mesmo que eles repitam toda hora aquela cara de “Oh, no, she didn’t!”, eles sempre estarão lá por ela. Ah que série maravilhosa.

Esta Season Premiere marca o início de Nikita versão 3.0, detalhe muito bem apontado pelo título. A primeira versão seria a dela lutando contra a Division junto com Alex, e a segunda seria a incrementação de Michael e Birkhoff no grupo.

Podemos dizer que a série já teve episódios bem melhores do que este, mas não há dúvida de que, apesar de “leve”, “3.0” deu conta de abrir a nova temporada com grande potencial. O panorama agora é outro, as situações dos personagens agora são diferentes, mas felizmente as cenas de alívio cômico e de ternura entre Nikki e seus protegidos continuarão vindo aos montes.

Eu poderia citar aqui vários momentos do episódio que me fizeram saltar da cadeira de tanta alegria. Mas provavelmente meu fanatismo incondicional e a saudade me fariam citar o episódio inteiro. Só posso terminar esta review dizendo que continuo me surpreendendo com Nikita mesmo depois de pensar que ela já fez tudo o que podia. Agora, por exemplo, com a maior investida no lado procedural e a caça aos Dirty 30, pensei que veria apenas a nova Division indo atrás de agente por agente. Aí assisti o trailer do 3×02, “Innocence”, e me deparei com algo totalmente inesperado. E mais uma vez, pela milionésima vez, me apaixonei por Nikita.

Observações:

- Nova série, nova abertura narrada por Ryan. Só acerto nas mudanças.

- Ryan dormindo na Division: mais dedicado impossível.

- No 2×23, “Homecoming”, o presidente dos EUA era Charles Grayson, e sua vice era Kathleen Spencer. Agora a presidente é Kathleen e nem tivemos sinal de Charles. O que será que aconteceu com o presidente?

- Foi bom de ver: Nikita na aula de ioga como uma garota normal e fazendo novas amigas. Melhor ainda foi Michael-gatão chegar naquele carro discretíssimo e deixar as amigas morrendo de inveja.

- Foi super-cool de ver: Nikita entrando no carro do agente chinês pelo teto solar. Ri da flexibilidade da moça.

- Eu estava esperando que Birkhoff e Sonia já estivessem em lua de mel… e me deparo com uma prematura separação. O que será que aconteceu? Ou melhor, o que será que Birkhoff fez?

- Sean se disfarçando de advogado e conversando com Michael como tal, enquanto na verdade eles falavam da estratégia de fuga: impagável.

Nikita’s Quotes:

- Birkhoff: I could always check with Langley.

Michael: By check he means hack.

Birkhoff: Lightly peak.

Michael: Gently penetrate.

- Nikita para Michael: You had me at “give me the damn glock.”
Reações: 

Relacionados

Review 8114036928043954149

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (0) Comentários via DISQUS

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item