inspiration2

Veronica Mars - 1x02 - Credit Where Credit's Due

Será que dizer “me desculpe, acho que me enganei” faz todo o pesadelo deixar de existir?


Será que dizer “me desculpe, acho que me enganei” faz todo o pesadelo deixar de existir?

Veronica Mars é uma série única. Com um roteiro único. Com uma protagonista única. Com uma trama única. Mas, sobretudo, com uma tristeza única. Porque de cara já começamos acompanhando a vida de uma adolescente que paga pelas consequências de acontecimentos trágicos e escolhas pelas quais ninguém -- muito menos alguém de sua idade -- deveria passar.

Ser adolescente já não é fácil. Bullying e exclusão da “panelinha principal” fazem parte do cotidiano dos jovens normais, imagina então para Veronica Mars que, de um dia para o outro, deixou de fazer parte da turma da elite de sua escola e passou a ser aquela que nem os excluídos queriam ter por perto.

A fala de Weevil retrata bem a verdade da jovem detetive: Be honest, Veronica. You think you're this big outsider... but push comes to shove, you're still one of them. Veronica passou a ser uma “outsider” porque escolheu seu pai ao invés dos seus amigos e isso lhe custou a “expulsão do paraíso”. E ela olha com compaixão os demais excluídos porque ela descobriu na pele o que eles sentem. Foi o caso de Wallace no piloto e Paris Hilton, ops, Catlin Ford no 1x02.

Mas se nada disso tivesse acontecido com ela, se Lily ainda estivesse viva e Duncan continuasse seu namorado, quem seria Veronica Mars? Ela se enxergaria como uma grande outsider? Ela enxergaria a penalização dos excluídos?

Esta é a grande reflexão da primeira temporada e especialmente deste episódio. Não que caiba a nós julgar Veronica. Ninguém no mundo quer ser um outsider. E, além do mais, ela não perdeu apenas os “amigos”. Ela perdeu a melhor amiga e o namorado, e em hipótese alguma dizer “me desculpe, acho que me enganei” traria qualquer um dos dois de volta.

O arrependimento de Keith pelo sofrimento causado à filha é tão intenso que chega a ser palpável. Como ele mesmo disse, se ele imaginasse que perseguir Jake Kane como suspeito assassino da filha fosse custar a vida de sua filha, ele jamais teria ido por esse caminho. E a vida, né, como não poderia deixar de ser, é bastante cruel com o ex-xerife. Ele é obrigado a ver, através da figura estapafúrdia de Lamb, (quase) todas as suas frustrações e o que tentar ser “justo” lhe custou.

Mesmo assim, Keith não deixa de acreditar que Jake tem algo a ver com a morte de Lily. Ele não só insiste nisso como vê no caso, e em sua resolução, brechas que desmoronariam facilmente o que ficou como a solução final. Acontece que esconder a resposta de Veronica não significa nada, como bem vimos no final de Credit Where Credit's Due. Ela descobriu que a amiga ainda estava viva duas horas depois da hora declarada da morte, o que põe os álibis de todos os Kanes em xeque. Ou seja, sua escolha de permanecer ao lado do pai pode não ter sido um “engano” afinal.

Todavia, mesmo no meio disso tudo, e das constantes dúvidas que Veronica tem em relação ao seu progenitor, a dinâmica dos dois e a cumplicidade entre eles é de render qualquer coração. Não importa qual seja o tamanho do campo de batalha. Eles estão juntos e vão passar pelo campo de batalha juntos... Quando a gente olha para a cena do “teatro na recepção do hotel”, por exemplo, temos aí um daqueles momentos que mostram o porquê que um jamais desistirá do outro. Mesmo que o custo dessa não desistência seja muito caro.

Credit Where Credit's Due foi também sobre como que as diferentes tribos de Neptune Hight sobrevivem umas às outras. De um lado, Weevil invade a festa de Logan, rosna um pouquinho e declara que aquela praia o “pertence”. De outro, a namorada de Logan se enrosca com um dos motoqueiros, rouba alguns mil dólares do namorado oficial, e praticamente causa uma mini-guerra.

Nesse intervalo, Weevil vai para a cadeia injustamente e aí entra Veronica, tentando salvar aquele que estranhamente ela descreve como “amigo”. A solução do roubo do cartão de crédito não poderia ter sido mais perfeita. Se no começo os grupos não se misturavam nem no inferno, no final tiveram que sacodir a poeira e engolir seus orgulhos. Dos dois lados havia baboseira demais para se sentirem alguma coisa.

Logan teve que passar por cima de seu orgulho porque... Paris Hilton não o achou homem o suficiente e o traiu com um de seus arqui-inimigos bem debaixo de seu nariz. Weevil teve a avó presa por causa das aventuras romantissísimas de Chardo, e ainda teve que varrer algumas ruas (da amargura) quando assumiu a culpa que sua reputação automaticamente lhe deu. Os dois acabaram aprendendo algo de útil, não? No final até uma conversa civilizada os anjinhos conseguiram realizar...

O episódio também teve aquele momento pra lá de awkward entre Veronica e o ex. Parecia que o ar estava pesando toneladas dentro daquele carro. Ri demais da moça pensando: In five seconds, I'm gonna do the Charlie's Angels roll right out of the moving car. Five, four, three... É, não tinha como ser diferente.

Para completar, a noite foi fechada com chave de ouro quando Keith e Jake tiveram que buscar seus respectivos filhos. Ambos não puderam disfarçar aquele pensamento pertubador de “será que esses dois vão fazer nossos caminhos se cruzar de novo?”. Porém, todo esse aperto na garganta valeu à pena quando Veronica viu o resultado da matéria que ela e Duncan fizeram. Não deu para deixar de notar também a pontinha de esperança que aparece em seu sorriso, claro. Afinal, até os miseráveis merecem ter uma pontinha de esperança no sorriso.

E, como dita a lei do universo, episódio de Veronica Mars não é episódio de Veronica Mars se Veronica não explora Wallace. Sim ou sim?

Adoro demais ver como ele sempre esperneia e ela sempre o contorna. Os dois se completam no meio infernal em que vivem, e até poderiam se chamar de lobos solitários se não fosse a chegada de Troy, um rapaz que parece não se importar com as regras estúpidas das panelinhas estúpidas. Foi muito bom ver alguém galanteando Veronica, a chamando pra sair e até se fazendo de cavalheiro ao trocar o pneu do carro dela. Só que no meio desse clima triste da série, toda vez que uma coisa boa surge fica aquele sentimento de que algo vai dar errado. Algo simplesmente, simplesmente tem que dar errado.


Observações:

- Fiquei besta com a reação da avó do Weevil. Para a véia, o neto mais velho podia assumir a culpa pelo mais novo e pronto, pouco importa se Weevil assumiu a culpa por amor.

- Veronica printou o histórico de Logan e descobriu as preferências sexuais do rapaz: Alyssa Milano naked. Não vou colocar aqui fotos que o Google dá como resultado pra essa pesquisa porque... olha... a senhorita Milano não sabe o que é pudor, hein.

- Adoro² as bochechas rosadas de Duncan. Quando Veronica chega perto dele, parece que as benditas ficam metidas e se exibem rosa choque.

- Veronica humilhando a professora com seu conhecimento sobre fotografia: cadê a modéstia, garota?

- Lily, apesar de ser um tantinho difícil de entender, teve uma fala bem interessante sobre sua mãe: She'd hate anyone she thought that Duncan might love as much as her. Friendly advice: Watch her. She'll break the two of you up if she can.

- Amei ver Paris Hilton provando do próprio veneno. Bitch.

- Weevil sendo o doce Weevil: Veronica Mars... I hear you're to thank for this Kodak moment. […] Give me some love. *Abraço de quebrar esqueleto*.
Reações: 

Relacionados

Veronica Mars 4926805016108340506

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (0) Comentários via DISQUS

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item