inspiration2

Agents of S.H.I.E.L.D. - 1x01 a 1x04 (e seus 10 erros)

SHIELD, o pecadão da Fall Season 2013.


SHIELD, o pecadão da Fall Season 2013.

Apesar de ser MUITO fã do universo Marvel e de histórias de super-heróis em geral, não dá para negar que SHIELD não tem se saído bem. Sou fã também de Joss Whedon, seu idealizador e realizador principal, que pegou o gancho do sucesso de Avengers e levou o sonho de qualquer nerd para a telinha. O problema é que ele deve ter batido a cabeça e perdido a noção de toda a maravilha que fez em Avengers. Porque nada mais explica o vômito que ele está fazendo em SHIELD.

Antes de tudo, Joss está copiando outra obra sua: Firefly. Ora, se tivesse copiando bem eu nem reclamaria. Firefly é uma das melhores coisas que assisti. Mas, Joss, minha gente, bateu a cabeça na quina da cama.

PRIMEIRO PECADO

Firefly-Malhação: ele basicamente pegou a estrutura de Firefly e colocou um elenco adolescente nela. VEJA: um elenco adolescente. Mesmo que, teoricamente, Leo Fitz e Jemma Simmons sejam os únicos adolescentes dali, Grant Ward e Skye não deixam de se comportar como tal. Ora porque parecem não saber nem quem são, ora porque se comportam como meninos de 12 anos flertando.

SEGUNDO PECADO

Esse negócio de não saberem "quem são" leva a um outro patamar de chatice: aqueles INFINITOS discursos melosos sobre a vida sofrida que cada um teve. Gente, por favor. Sério que CADA personagem ali tem que vir de um passado miserável? E cada um deles tem que parar para falar sobre e ainda tirar uma liçãozinha de moral? Parece que eles ficam disputando, praticamente fazendo uma gincana pra ver quem penou mais.

Sabe com que isso se parece? Novela. É em novela que todo mundo é triste e ganha trilha sonora pra fazer carinha e biquinho de triste. É só juntarem dois pra conversar que logo começam com "ah passei por isso e isso, sofri com isso e aquilo e ainda tô aqui contando essa história chata". Quanto mimimi, Brazel!

TERCEIRO PECADO

Transformaram o agente Coulson numa pamonha. Sim, arrumaram uma Firefly pra ele, que aqui é um avião chamado de "ônibus". Ele cuida dele assim como o capitão Mal cuidava de sua nave. Para completar, ainda tem o carro voante da história, a Lola (por quem até Fury pergunta...). Mas o cara tá estranho.

Em Avengers e nos demais filmes da Marvel que ele apareceu, Phil não passava de um pau mandado que corria atrás dos super heróis tresloucados. Ainda assim, ele era legal. Tão legal que era indispensável. E sempre que o víamos em um novo filme já vinha aquele sorriso no canto da boca.

Para a série, ele se tornou o protagonista. Ressuscitaram ele do final de Avengers e o declararam líder, mas esqueceram de dar um time pro cara. De acordo com o próprio Coulson, os bebezinhos que ele "escolheu à dedo" formam seu time e são bons pra caramba. Contudo, no 1x04, Eye Spy, lá estava ele indo atrás do vilão SOZINHO.

Para mim, não faz sentido. Eu estava esperando que, além de um time ADULTO, ele teria um mar de agentes à sua disposição para a hora do vamos ver. Mas acontece que na hora do vamos ver a arma do homem é a droga do discurso "ah o mundo é bonito, você merece uma segunda chance, não seja tão cruel, confie em mim que eu te ajudo". QUASE MORRI quando o vi fazendo isso no CLÍMAX do piloto da série. O capitão Mal fazia era desafiar o outro para um duelo de espadas!

QUARTO PECADO

Situações esdrúxulas sendo passadas como super inteligentes. Primeiro, aquela cena de Coulson enfiando o soro da verdade em Ward para recrutar Skye. Amigos, não sei para vocês, mas eu tinha para mim que SHIELD era uma agência.... de inteligência. A personagem Maria Hill (Cobie Smulders, de HIMYM), por exemplo, seria uma daquelas pessoas responsáveis por manter os agentes de campo informados e dez passos à frente dos bad guys. Mas, não. A SHIELD é burra.

Skye, a menina sofrida dos cabelos que nunca mudam de lugar, a hacker mais imbatível do universo, é capaz, sozinha, de invadir e fazer o créu com a coitada da SHIELD. Peraí. Sério? Sim. Tão sério que Coulson faz de tudo para recrutá-la, mesmo sabendo que existe 101% de chance da rebelde traí-lo. Fazer o quê, né? Sem a inteligência dela a SHIELD nunca sobreviveria...

Outra situação estapafúrdia foi a primeira missão de Skye. Teve um momento que ela, na festa do vilãozão Ian Quinn (1x03, The Asset), fala com Melinda May através do fone de ouvido e COLOCA A MÃO na orelha para indicar que está falando. OI? Não era para ser discreto? Ward esqueceu de avisar pra ela que, supostamente, ninguém deveria suspeitar de nada?

Tipo, tipo, tipo, alguém aqui já viu algum filme de ação e/ou espionagem na vida? Só com os filmes que vejo eu estaria bem mais qualificada que essa menina. Só de ver uma rata dessas, Quinn poderia decifrar tudo e mandar a bonitona para o céu da boca da onça. Mas é óbvio que nada disso aconteceu. Pelo contrário. Com TANTA experiência e domínio da coisa, ela foi capaz de dobrá-lo com uma conversa fiada-verdadeira e ajudou o time dos mocinhos a vencerem. Uhu.

(Detalhe para o timaço de resgate contra todos os guarda-costas do mal: Ward e Coulson).

QUINTO PECADO

Clichês saltando pra fora da tela. Você viu aquela cena de Coulson no 1x02, 0-8-4, encontrando a colombiana que "apimentou" o passado dele? Gente, PERDI AS CONTAS de quantas vezes vi cenas exatamente desse tipo em filmes de ação. Até em Os Mercenários tem!

Além disso, lá vai outra cópia de Firefly de novo. 0-8-4 foi cuspido e escarrado o 1x03 fireflyiano, Our Mrs. Reynolds. Nele, a bela Christina Hendricks (Joan, de Mad Men) fez a vez da mulher malvada que conseguiu enganar todos os tripulantes a bordo da nave. Algo soa familiar? Pois é. Numa tacada só, Joss copiou o clichê da mulher fatal no passado do protagonista, e ainda pegou plot do capitão Mal para cagar em cima.

SEXTO PECADO

Personagens de Firefly mal reproduzidos. E de antemão já peço perdão aos meus queridos personagens fireflyianos.

Melinda May quer claramente ser River Tam. Passado super secreto, diálogos mini-monossilábicos. Tem o super poder de nunca mexer um músculo facial. Cara de mau e de louca ao mesmo tempo, pose de fatal e capacidade de matar uma multidão de pulso quebrado. Ou até sem mãos se brincar.

Simmons e Fitz são a versão juvenil de Wash e Zoe. Ambos indispensáveis para a tripulação e de personalidades bem particulares. Não só gostam muito do que fazem como possuem uma química inigualável.

Skye seria uma mistura da "doçura" de Kaylee Frye com a rebeldia de Jayne Cobb. Mas sem nenhum pingo da parte divertida dos dois.

Grant Ward quase que sobrou na equação, não fosse o fato dele ser um projeto de James Bond somado à versão masculina e meio blé da Zoe. Sempre lembrando que ele veio sem a parte da graça de qualquer um dos dois.

E Coulson, como já dito, tomou o lugar do capitão Mal. Mas totalmente sem a bravura e "macheza" deste. No lugar destas qualidades ficamos com um homem meloso, sem sal nem pimenta, que tenta liderar uma zona de adolescentes numa festa de pijama.

Faltou a Inara do Coulson, né? Não vão me dizer que é a Lola!

SÉTIMO PECADO

Mil e uma coincidências na terra da magia. Sabe aquelas cenas onde o herói chega pra salvar a mocinha bem na hora que o lobo mau ataca? Pois é. Parece que a dinâmica Ward-Skye vai ser sempre assim. Além das cenas dos dois choramingando sobre seus respectivos passados, e flertando como se nunca tivessem tido tesão na vida, eis que ele sempre aparecerá para salvá-la no segundo exato, e na posição milimetricamente exata entre ela e o vilão. Vide o infame episódio 1x03, The Asset.

OITAVO PECADO

Se a intenção era copiar Firefly, por que não copiaram direito então? Por que não copiaram por completo? Por que não fizeram de Coulson um legítimo capitão Mal 2.0? Por que não fizeram de SHIELD um universo adulto como o da sua "série-matriz"?

NONO PECADO

Skye, como não poderia deixar de ser, é mesmo uma espiã da "Maré Crescente", mesmo debaixo de tanta melosidade e fé cega de Coulson . E ela ainda tem Ward, que resolveu, por pura caridade, ser o tutor da moça e lhe dar muitas lições de moral entremeadas de aulas de auto defesa.

Que a espionagem de Skye é previsível todo mundo sabe. Mas o que a série não mostrou ainda é se Phil tomou alguma atitude em relação a isso, como, por exemplo, fazer uma contra-espionagem. Isso seria, claro, o mínimo. Porque não é possível que ele tenha simplesmente resolvido confiar na bondade do coração dela. Aliás, se ele resolveu assim, não vamos nem chamar isso de pecado. Aí já vai ser extrema burrice mesmo.

DÉCIMO PECADO

SHIELD deveria ser boa. DEVERIA. Joss Whedon não pode, por exemplo, reclamar que o momento de SHIELD não é propício à ela, como aconteceu na época de Firefly. Não poderia existir momento melhor para trazer o mundo da Marvel pra TV. Além do sucesso no cinema, que impulsionou o interesse de muita gente que não conhecia nada desse mundo, hoje o acesso a obras do gênero, facilitado pela internet, é muito maior do que a 11 anos (Firefly é de 2002).

Joss também não pode reclamar de falta de experiência. Ele tem uma equipe de interessados que inclui a lenda Stan Lee. E não bastasse passar o que passou com Firefly (que foi cancelada e teve filme 3 anos depois), ele teve muito tempo para amadurecer e adquirir experiência, e se tornou um expert na área. Hoje todos o respeitam como o diretor que sabe como fazer um filme de super heróis. SHIELD pode até ser sobre os agentes sem super poderes, mas bebe da mesma fonte e transita pelo mesmo universo.

Diante de tudo o que foi dito aqui, penso que, depois de Firefly fracassar, o modelo dela tenha sido alterado para "dar certo". Imagino que, antes de lançarem o piloto, os produtores fizeram algum tipo de pesquisa que especificou o que o público queria. Isso explicaria o fato de SHIELD ter um cenário tão próximo de infantil. Vai que era isso o que o povo queria assistir!

Bom, se era, é uma pena. Se não era, é uma pena maior ainda. SHIELD não está passando de um grande desperdício.

CONCLUSÃO

Nem tudo sobre SHIELD é pecado. Os apelidinhos -- tanto para pessoas quanto para objetos -- são uma ótima deixa do roteiro. Fitz e Simmons discutindo sobre ciência -- como se fosse assunto de entendimento geral da nação -- tem lá sua graça particular. A série também já lançou dois mistérios: a "Cavalaria", que faz parte do passado de May, e "o que fizeram com Coulson", segredinho que a própria May parece saber, e que Akela Amador (a menina do olho de raio-x) notou no 1x04, Eye Spy.

Não sei dizer se tais mistérios serão capazes de segurar a série porque, pelo menos para mim, ela não tem nada a ver com o que eu esperava. O que eu sei é que eu não estou disposta a ver episódio por episódio só para "descobrir" que macumba fizeram com Coulson ou que cavalo May aprendeu a galopar para fazer parte da tal Cavalaria. Vou descobrindo tudo pela timeline do Twitter, do Facebook, pelas reviews de blogs alheios, pelas notícias dos sites americanos. Vou me poupar da enrolação, das sessões forçadas de terapia, do romance pueril com cheirinho de conto de fada.

Boa sorte para você que vai continuar acompanhando tudo isso.

P.S.: Ainda não viu Firefly? Tá esperando o quê?
Reações: 

Relacionados

Review 8410792667692719435

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (0) Comentários via DISQUS

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item