inspiration2

Nikita - 4x01/02 - Wanted / Dead or Alive

Agora que estamos vendo Nikita em sua reta final, até parece que foi fácil chegar aqui. Até parece que todas aquelas noites de baixa au...


Agora que estamos vendo Nikita em sua reta final, até parece que foi fácil chegar aqui. Até parece que todas aquelas noites de baixa audiência e sites publicando que a série estava definitivamente fadada ao cancelamento foram mera ilusão. A CW é inclusive conhecida por dar chances demais aos seus baixos desempenhos. Mas nem tanto. Veronica Mars mesmo não teve tanta sorte.

Ainda assim, como parte da nova política do canal, dar um final próprio à Nikita foi uma decisão feita para “não deixar os fãs na mão”. E nós agradecemos por isso. Nós, os fãs, podemos até ser poucos, mas amamos essa série com intensidade.

Para você ter ideia, não é somente nas redes sociais que existe a “militância Nikita”. Maggie Q relatou na Comic Con 2012 que não conseguiria chegar a tempo do painel da série por causa de atrasos no aeroporto. Ao ver a situação, uma completa desconhecida - que acompanha a série - ofereceu a passagem dela para Maggie, pois seu voo chegaria a tempo. Maggie aceitou e relatou a experiência na Comic, mandando um beijaço para a boa samaritana que, claro, estava na plateia.

Certamente esta “fixação de poucos” merece ser estudada, porque muita obra da TV que foi para o ralo prematuramente saiu arrebanhando milhares de fãs pelo mundo depois de ser cancelada.
Mas isso fica para outra hora. Vamos falar de Nikitinha em sua reta final.

O que eu percebo nesta e em muitas outras séries é que, quando chega o final, elas optam por ir para o extremo. Um grande exemplo é a outra adaptação de Nikita, La Femme Nikita. Na sua última temporada, LFN colocou a protagonista para fazer o inimaginável, a ponto de nem o próprio telespectador reconhecê-la. Ela foi MAU. Mau além da conta. E era tudo por escolha dela, pelas mesmas convicções que antes a faziam ter atitudes totalmente opostas. Vai entender.

Em Nikita, o extremo se mostra na ficção científica. Membros do corpo são regenerados, pessoas são transformadas em pessoas diferentes, lavagens cerebrais são tão práticas quanto tomar uma dose no bar.

Não acho ruim. Só acho estranho porque é sempre no final que TANTA coisa acontece de repente (enquanto seria mais crível se fosse assim a série inteira). É como se o mundo sempre avançasse 50 anos nas temporadas finais.

No universo de Nikita, tamanho avanço científico (totalmente desconhecido da população), está sendo usado para infiltrar os poderes de Amanda e do Shop (Oficina, na legenda) em lugares politicamente estratégicos.

O Shop quer causar guerra, dominar o mundo. Amanda continua bitolada querendo “ensinar” Nikita. O interessante é que todas as relações dela foram arruinadas por essa obsessão, e agora está acontecendo o mesmo. O modus operandi dela é:  juntar seu plano com o do parceiro e executar os dois ao mesmo tempo. O problema, e ele sempre se repete, é que Nikita é imprevisível e suas respostas acabam abalando pouco a pouco as estruturas dos planos mega evil de Amanda. E ELA NUNCA APRENDE. 

Pior ainda são seus parceiros, que nem se dão ao trabalho de checar o currículo da mulher antes e ver que ela fracassou em todas as suas guerras contra sua pupila. Ia poupar aos caras tanto dinheiro...

No grupo de Nikitinha, depois de meses do abandono dela, muitas coisas mudaram. Primeiro foi Ryan, que finalmente parece ter voltado a ficar inteligente. No final da 3ª temporada, ele, que é o cérebro da turma, cometeu erros bobos e deixou os “padrões” que tanto reconhece passarem despercebidos. Agora, meu caro, o homem está em ponto de bala. Só com um quadrinho transparente e uns dados mixurucas, ele veio com a ultimate teoria: há pessoas trocadas por gente idêntica em posições políticas no país inteiro.

E ele conseguiu chegar a esta conclusão mesmo com a “ajuda” do Birk-Fake. Como é que pode, hein? Amanda Bitch ousou colocar as mãos dela no nerd preferido de Nikki (e nosso também). Não quero nem pensar no que Nikitinha fará com ela depois que isso tudo for descoberto.

Mas... para aqui um pouquinho. Se Birkhoff está mesmo trocado ou só com o cérebro lavado, não seria mais... fácil se ele apenas revelasse a localização de Nikita? Porque enquanto ele não faz isso, ela continua a atacar Amanda de todos os lados e a destruí-la. Qual é a prerrogativa para a "enrolação" aqui?

Indo para Alex, eu não poderia estar mais feliz com o cenário dela. Acabou aquela ladainha dela se levantar contra a mestra. Se ela queria ter uma vida para ela mesma, aí está: Alexandra Udinov é a nova Angelina Jolie. Já passou o 2º episódio da última temporada e até agora as duas não se encontraram. Até agora Nikita não deu nenhuma ordem à ela e ela não teve que obedecer nenhuma ordem dada por Nikita. O cordão umbilical foi finalmente cortado.

Não sei se já no 4x03 ela será libertada, mas está aí mais um obstáculo distanciando-a de Nikki. E, pelo que vejo, temos ali um núcleo: Sam, Alex e Sonya. Não vejo razão para que não fique centrado apenas neles por mais um tempo.

Falando em Sam, ele voltou e eu acho que é para terminar com Alex. Quer dizer, estão com o prato e o queijo na mão. Sean morreu. Por causa de Sam, Alex está presa. E isso o fará lutar para socorrê-la. Qual o resultado? Redenção. O homem redimido terá sua segunda chance na vida ao lado daquela que ele traiu e salvou. Faz todo o sentido (e é claro que eu já estou shippando os dois. Sorry, Sean.).

Agora, vamos ao principal: Mikita. Tentei evitar chegar aqui, viu.


Se eu estivesse no lugar de Michael, eu também estaria MUITO magoada. Nikita pode insistir que teve as razões dela, contudo não é bem assim. Abandonar Alex, Ryan e Birk é uma coisa. Abandonar o homem com quem iria se casar, é outra. E nem é "só" isso.

O histórico deles vem de muito antes, com Michael guardando segredinho por segredinho para salvar a vida de Nikita dentro da Division. E é claro que ela sempre teve tratamento especial. Mas depois ainda tem mais.

Na segunda temporada, depois dele chutar o balde (principalmente) por causa dela, eram eles dois contra o mundo. Não deu muito certo no final, mas, era apenas eles dois. E era isto o que importava.

Se Nikita tinha mesmo que ir embora, que o levasse. Ele não pensaria duas vezes. Ele iria. Diferente dos outros, ele era o homem dela. Ela era a mulher dele. Eles eram um. Logo, entendo completamente a atitude dele em não querer mais lutar pelos dois. Não é que não queira. É que não dá. Ela abandonou ELE.

Meu coração de fã fica em pedacinhos. Nikita e Michael são sagrados. Eles acharão o caminho de volta um para o outro eventualmente, porque eu sei que a CW não quer ser queimada até virar cinzas. Mas, enquanto não acham, fica aquele sentimento de: como Michael vai perdoar? Como Nikita vai reconquistá-lo? E o tanto que o clima fica pesado com os pombinhos em cena? Ai, coração, aguenta aí.

Pensando pelo lado do roteiro, era óbvio que o casal de ouro não escaparia de uma crise brava na reta final. É pra adicionar adrenalina, a gente sabe. O mundo está desabando, Nikita matou a presidente, Amanda tem um monte de fantoche poderoso, Alex foi sequestrada, Birk foi trocado... mas Mikita tem que sofrer.

Quero destacar também a cena de Mike puxando o gatilho no lugar da amada. Dava para praticamente sentir o mundo pesando nos ombros de Nikita enquanto Amanda-louca a condenava pelo derramamento de sangue inocente (fala que não passa de uma falácia da ruiva). Essa maldita obsessão custa mais caro para Nikki do que para qualquer um, óbvio, mas graças aos céus ela teve Michael para tirar um peso a menos de seus ombros naquele momento. Que cena terrível!

Maggie Q está conseguindo transmitir com clareza o estado de espírito de sua personagem. Está “insuportável” ver minha Nikita querida sofrer desse jeito. É o peso da culpa do sangue de outrem nas mãos. É o peso da culpa do abandono em forma de proteção. É o peso de perder Michael. Quero entrar na tela e dar um abraço nela...

Essa intensidade só prova que, até o momento, a série está indo bem nos episódios finais. Como fã, fico aqui na torcida para que não façam nenhuma besteira, não inventem nenhuma moda. Produtores gostam de inventar moda em final de série, né?

Só quero que FECHEM. Fechem esses plots abertos, solucionem os problemas criados. E amém. Nada de deixar para “interpretar” depois, ou um “futuro aberto”, ou “possibilidades”. Deus! Gelo a espinha só de pensar! Quatro anos acompanhando esta série maravilhosa e finalmente me deparo com a possibilidade de tê-la estragada para sempre.

Ai, Jesus. Vamos cruzar os dedos.

Observações:

* Birkhoff TEM que estar vivo.

* E a cena do tiro em Michael? Confesso que fiquei paralisada por um momento.

* Se juntar o título dos dois episódios, dá numa música do Bon Jovi: Wanted dead or alive.

* O 4x01 teve uma referência visual bem bacana ao filme Nikita, de 1990:



O melhor: Nikita voltar e já começar a dar ordens de novo! MAN-DO-NA!
O pior: Mike de coração partido, todo tristinho pelos cantos. Ownnn.
Melhor quote: A Division não nos define mais. Lutamos porque queremos e por estarmos aqui um pelo outro. [Mike para Nikitinha]
Nota para Wanted: 10
Nota para Dead or Alive: 10
Reações: 

Relacionados

Review 5712993391838795723

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (0) Comentários via DISQUS

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item