inspiration2

Person of Interest, uma das melhores séries da atualidade, por João Paulo S. Bernardes

É sempre bom falar das coisas que você gosta, as palavras saem mais fáceis e o vocabulário fica quase escasso de tantos adjetivos que são...


É sempre bom falar das coisas que você gosta, as palavras saem mais fáceis e o vocabulário fica quase escasso de tantos adjetivos que são usados na descrição. O sentimento aqui pode ser atribuído a uma de minhas séries favoritas atualmente, Person of Interest. Eu confesso, sou um série maníaco assíduo e já assisti várias séries inesquecíveis como: Lost, Battlestar Galactica, 24 Horas, The O.C., Breaking Bad, dentre outras.

Todas essas são excelentes por proporcionarem algo único e diferente, algo instigante que sempre busco nos seriados que eu assisto. Person of Interest tem exatamente este elementos e traz até um pouco mais. Sua premissa vai de encontro com as inovações e características da nossa década atual trazendo assuntos que abrangem desde vigilância à privacidade exacerbada.

POI, nome carinhoso dado pelos fãs da série, é uma série com pedigree que tem o privilégio de ter excelente produtores e roteiristas por trás da produção, um dos segredos de seu sucesso perante seu público. Outro fator decisivo é seu elenco talentoso e sólido liderado por Jim Caviezel (Paixão de Cristo) e Michael Emerson (Lost), sendo completado por Taraji P. Henson (indicada ao Oscar por O Curioso Caso de Benjamin Button), e Kevin Chapman (da antiga série Rescue Me).

Finch e Reese
A série conta a história de um bilionário chamado Harold Finch que recruta um ex-agente da CIA chamado John Reese. Juntos, os dois usam os recursos necessários para prevenir crimes antes que estes realmente ocorram. Como eles fazem isto? Através de uma inteligência artificial criada por Finch, que também é conhecido por ser um nerd da computação. A Machine, como ela é chamada no seriado, foi vendida por ele anos atrás para o governo, para que esta fosse usada na prevenção de ameaças terroristas antes delas acontecerem, tudo devido aos ataques de 11 de setembro de 2001.

Estas ameaças são chamadas “relevantes”, mas no caso de Reese e Finch, eles cuidam das ameaças consideradas “irrelevantes” (que abrangem todo o resto da população). Achou difícil? Mas não é, e o melhor é que quando você começa a assistir não consegue mais parar. POI consegue trazer tantas características interessantes que faz da série divertida e puro entretenimento para quem acompanha.

Uma dessas características é o mistério, não é à toa que um dos produtores da série é o genial J.J. Abrams (Lost, Fringe, Revolution, Star Trek de 2009 e 2013). Toda a premissa com a Machine vai sendo expandida aos poucos, criando uma mitologia rica e intrigante principalmente quando o passado de Finch é explorado em forma de flashbacks. A ação e a comédia são outros fatores cruciais do sucesso do seriado, tudo na medida certa e dando um bom ritmo às cenas.

Reese pegando Finch no pulo na 1ª temporada
O criador do seriado é o Jonathan Nolan (roteirista da trilogia do Batman e irmão mais novo do cineasta Christopher Nolan), e em conjunto com Greg Plageman ambos conseguiram dar uma cara interessante à Person of Interest, que se assemelha muito aos Comic Books (revistas em quadrinhos) como Superman, Os Vingadores e Batman. Não pelo fato da série ter super-heróis (porque não tem, é bom deixar claro). É mais pelo formato que usaram para desenvolver os grandes arcos durante as temporadas e pela grande proporção de vilões e aliados que atravessam o caminho dos protagonistas, tudo interligado e se desenvolvendo durante os episódios.

Outra razão para se assemelhar ao universo dos super-heróis se dá principalmente pelas personalidades de Finch e Reese, que praticamente se equivalem ao do Batman dividido em dois personagens. O primeiro por ser um bilionário e gênio como Bruce Wayne. O segundo por saber vários estilos de luta e salvar as pessoas como o morcego faz. Sendo assim, a série cria uma mitologia própria entre aqueles que conhecem a lenda do misterioso man in the suit (o homem de terno).

The man in a suit e sua companheira mais fiel, a câmara
Todos esses adjetivos só acrescentam para fazer de POI uma das melhores e mais criativas séries atuais, que consegue sair do padrão de seu próprio gênero e trazer algo mais para o universo da TV. A qualidade técnica conta muito, mas como eu afirmei diversas vezes neste texto, a escrita inteligente e os personagens super carismáticos são um fator decisivo para o sucesso deste drama de ação com toques de comédia e sci-fi, que provém mais do que entretenimento sempre tratando o expectador com inteligência e atiçando-o a encontrar as respostas e ligar informações por si mesmo, trazendo uma espécie de satisfação de quarenta minutos muito bem aproveitados.

Pessoalmente, é uma série que recomendo, principalmente por aqueles que buscam qualidade e diversão. Ainda tem-se todo aquele preconceito com procedurais, mas Person of Interest é diferente. Ela praticamente consegue sair desse rótulo já durante sua primeira temporada, com um roteiro esperto e cheio de potencial, que vai se intensificando e aumentando durante as temporadas seguintes. POI está entre as melhores temporadas de 2013 e possui três dos melhores episódios que assisti este ano no quesito séries de TV. Está ai uma oportunidade de aproveitar esse período de férias que se aproxima e fazer uma maratona com as duas primeiras temporadas e os dez episódios da terceira. Tenho certeza de que você não irá se arrepender e de quebra ganhará um novo vício para adicionar na sua watchlist.

Se você ainda não botou muita fé, segue aí os pontos altos e baixos da série:

Pontos Altos

Participações: além do ótimo elenco principal, as participações dos coadjuvantes na série são outro ponto forte. São divertidas, rápidas, e tão boas que esses personagens acabam voltando no decorrer da série tamanho o sucesso com o público, sejam eles vilões (Elias, Root, H.R., Alistair Wesley, etc), ou aliados (Zoe, Maxime, Lion Tao, etc).

Cliffhangers: a série não tem o defeito de ser estática, ela está em constante mudança. Dessa forma, as temporadas ganham viradas surpreendentes durantes seu desenvolvimento, seja no começo, no meio, ou no final delas.

Trilha Sonora: uma qualidade que a série tem é quanto às suas músicas, que dão um tom em episódios decisivos trazendo diversas emoções durante as cenas. As canções são tão marcantes que você ficará empolgado para baixá-las depois de assistir o episódio.

Reese e Carter prontos para chutar bundas
Qualidade Técnica: uma das características que Jonathan Nolan e sua equipe trouxeram para POI é a qualidade cinematográfica que a série possui. Em diversos episódios você tem a sensação de estar assistindo a um filme de quarenta minutos com uma fotografia excelente, com tomadas internas e externas de Nova York que dão um tom deslumbrante à narrativa. A evolução técnica de uma temporada para outra é gritante e só deixa o seriado ainda melhor.

Roteiristas & Diretores: a série possui os melhores do ramo, então espere bastante ousadia por parte daqueles que escrevem o seriado. As surpresas surgem de onde você menos espera e podem te deixar roendo as unhas. Sobre os diretores, posso citar as ótimas cenas de ação e os diálogos, tudo muito bem filmado oferecendo exatamente a qualidade técnica citada anteriormente.

Pontos Baixos

Saiba que nenhuma série é perfeita, se fosse seria um pouco chato, não é verdade? Desta forma, é bom citar alguns fatores em POI que podem incomodar. O primeiro é quando a série se apoia demais no formato procedural, ainda que isto aconteça mais na primeira temporada (acredito que é porque estavam ajustando o tom do seriado). Volta ou outra a série acaba apresentando alguns episódios assim na segunda e na terceira, nada muito alarmante, mas que poderia ser facilmente descartado. O segundo é mais relacionado à primeira temporada, que em seus seis primeiros episódios se move de uma forma um pouco lenta, o que pode tirar um pouco o interesse do expectador.

Veredicto

Person of Interest é um excelente seriado. Pessoalmente não tenho queixas e mais elogios para fazer, como pode ser notado na maior parte da análise. A série é um drama que consegue misturar ação, comédia, aventura e sci-fi tudo num pacote só. Suas temporadas têm características diferentes, mas todas são únicas entregando tudo aquilo que sua audiência almeja.

A primeira temporada se desenvolve de maneira crescente apresentando um episódio melhor que outro até culminar num excelente Season Finale. A segunda temporada é ainda melhor e mais sólida, conseguindo fechar diversas tramas deixadas em aberto na temporada anterior e ainda conseguindo trazer diversas novas ameaças ao team Machine (nome carinhoso dado à equipe), abrindo as portas para o terceiro ano que, com tudo que já foi mostrado, promete ser o melhor da série até agora. Então, venha, se junte a Reese, Finch, Fusco, Carter e posteriormente a Bear (o cachorro mascote da equipe), e Shaw, e curta uma das melhores e mais brilhantes séries atuais.

E lembre-se: você está sendo vigiado.


Guest Post Este texto foi escrito por um brilhante e ilustre autor convidado, e faz parte de uma série de posts sobre as séries favoritas e os danos que elas causam no coração da gente.

Guest
Autor
João Paulo S. Bernardes é um seriador e cinéfilo nato, daqueles que não deixam nenhuma novidade de suas séries e filmes preferidos passar batida. Ele escreve semanalmente sobre Person of Interest e Revolution no Supernovo. Tem 24 anos, mora em Uberlândia e é um futuro engenheiro eletricista. No Twitter pode ser encontrado no perfil @JPaulo645.
Reações: 

Relacionados

Person of Interest 939447605223963551

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (11) Comentários via DISQUS

  1. Amigo, que texto lindo, eu que já assisto fiquei empolgado, imagina quem nunca viu kkkk. Bom, quem nunca assistiu tá bobeando, uma das melhores séries da atualidade mesmo, tá na 3ª temporada e consegue manter um nível alto de qualidade. Nem sei conem vejo mo você achou ponto baixo aí kkkkkkk, confessa que você só citou pra não parecer muito CDF com a série. Tô brincando, eu sei que muita gente não teve lá paciência com os 6 primeiros epis, mas tava na cara que eles eram os moldes do que estava por vir, então a lentidão deles com as informações é bem compreensiva depois que você chega lá frente. Eu confesso que sou do grupo que não curte muito quando qualificam POI de procedural, porque, acho tão pequena essa parte, a mitologia da série é tão grande e espetacular que isso acaba sumindo e como você bem disse, episódio que o caso da semana ganha um pouco mais de destaque, os Irrelevants reclamam pacas. Mas é isso aí mesmo, POI é uma série empolgante, desde Lost e House eu não sentia isso por uma série, e olha que eu assisto muitas e gosto muito. Obrigado pelo artigo, sempre muito bacana ler textos sobre Person of Interest, ainda bem que ela já ganhou um espaço merecido nos blogs mas acho que a turma precisa ver essa série com mais boa vontade, esses rótulos de procedurais é que mata, muita gente passa longe. Valeu, abraços, entrei como anônimo mas meu nome é Rafael Henrique. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael agradeço que tenha gostado do texto e agradeço a Arlane pelo convite de falar de POI desta forma. Sobre os pontos baixos você me pegou, essa parte não me incomoda, mas não é o melhor momento da série então é bom citá-lo afinal como eu disse nenhuma série é perfeita infelizmente kkk. Enfim mais uma vez obrigado pelo comentário e espero que Person of Interest continue mantendo a qualidade que vem apresentando desde que estreou.

      Excluir
  2. JP, amei o seu texto! De paixão!
    Eu é que agradeço demais da conta por você ter aceitado o convite.
    Você está ficando cada vez melhor em escrever sobre séries, e se continuar indo bem desse jeito agorinha os produtores de POI te contratam pra arrumar mais fãs pra série :noprob:

    Gostei da forma que você fez, separando por partes para explicar sobre o funcionamento da série. Seria maravilhoso se a gente tivesse um texto desse tipo pra cada série que estreia para evitar de entrar em roubada hehehe

    Uma coisa que eu gostei muito foi você mencionar que POI "consegue misturar ação, comédia, aventura e sci-fi tudo num pacote só". Essa é a pura verdade. Ela é uma das séries que consegue fazer isso da melhor forma possível. Aí eu só acrescentaria fofura, porque nunca esqueço daquele episódio que eles protegeram a neném, e também não me esqueço de Bear devorando na maior cara dura os donuts e vigiando Reese baleado na cama. É muita fofura! :shy:

    Mais uma vez: MUITO OBRIGADA!
    Foi um grande prazer poder publicar um texto seu aqui e deixar a marca JP registrada no meu blog :smile:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é uma fofa Arlane e gostei do que você falou, pois, meu objetivo em escrever textos assim é melhorar mais minha escrita afinal estou chegando próximo de escrever meu TCC e tenho que caprichar.

      Adorei que você tenha gostado do texto, afinal sei que você adora a série também e ter sua aprovação é importante para mim. Faltou falar das cenas fofas do elenco, o episódio "Baby Blue" é um dos meus favoritos até hoje e vamos combinar que o Bear foi a melhor adição do elenco "ever".

      Marca JP gostei dessa referência e foi um prazer colaborar contigo, desejo tudo de bom a você e ao seu blog. Até a próxima oportunidade.

      Excluir
  3. Um dos melhores textos que eu já li sobre Person of Interest até hoje, se não for o melhor. Muito bom ler algo dessa qualidade sobre uma das melhores séries da atualidade. Deu pra perceber que você tem um conhecimento da série que vai muito além de escrever reviews, sua análise é simplesmente brilhante. Conselho: quando a série chegar ao seu final, escreva um livro sobre ela porque certamente vai ser uma experiência muito boa de leitura e complementação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler fera, fico feliz que tenha gostado. Escrever um livro sobre a série? Boa ideia, quem sabe um dia, curti a dica. Tudo de bom.

      Excluir
  4. Nossa, esse texto é tão bom, fui indicar num outro blog de séries pra um colega que perguntou se a série valia a pena e o moderador tirou o link. Nem fiz por mal, acho que tiraram porque já tem reviewer lá, não achei que tivesse problema, não sabia que tinha esse tipo de coisa entre blogs, fiquei surpreso, mesmo porque a Arlane já tinha sido colaboradora lá. Uma curiosidade, você lê reviews em outros blogs, você conhece o Rodrigo Canosa e o Daniel Brandão, já leu alguma review de POI deles? Vocês trocam algum tipo de idéia, como os irrelevants fazem nos comments?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! É uma pena que não tem seu nome aqui...

      Eu conheço, sim, o Rodrigo Canosa e nós até gravamos podcast juntos, falando de várias séries, INCLUSIVE Person of Interest, como você pode ver aqui http://canaldeseries.blogspot.com.br/search/label/Podcast
      O Daniel Brandão ainda não tive a oportunidade de conhecer.

      E não tem problema nenhum se tiraram o link. Acho até que se o blog não gosta de ver outros blogs divulgados em seus posts é normal. Você pode indicar o texto pelo seu Twitter, pelo seu Facebook, pelo seu Google+, que lá quem manda é você e ninguém vai moderar nada :smile:

      Muito obrigada por divulgar o texto e fico feliz que tenha gostado :sneered:
      Valeu pelo comentário e feliz 2014!

      Excluir
    2. Amigo como Arlane falou pena que você não postou seu nome, mas fico feliz que tenha gostado do texto. Eu conheço o Rodrigo e de vez enquanto eu troco alguma ideia ou outra com ele, já o Daniel ainda não conheço. Enfim obrigado por ler, quando quiser aparece lá no Supernovo, faço reviews constantemente sobre os episódios de POI, abraço boas festas.

      Excluir
    3. Meu nome é Clayton, agradecendo muito à Arlane e você, João Paulo pela atenção. Bacana isso de vocês se conhecerem e trocarem idéias, vou dar uma conferida no link do podcast. Eu já li suas reviews, João, indicação recente de um colega de traballho que curte muitas séries, inclusive POI e me disse que você manjava muito dela e de Revolution, que também acompanho. O Daniel é reviewer de várias séries no blog Spot Séries (tô deixando o nome do blog porque senti que a Arlane não se importaria, percebi que além de gentil, ela gosta de interagir com outros reviewers, não importa se desse ou de outro blog), ele escreve sobre muitas séries e POI desde o piloto, também manja muito. De repente rola um podcast com vocês 4, Arlane também foi reviewer de POI, né? Ia ser muito legal. Agradeço mais uma vez pela oportunidade, o Blog é super bacana e vocês também, um excelente 2014 pra vocês, abraços!

      Excluir
  5. Comecei a assistir essa série em maratona, sem muita expectativa e me surpreendi positivamente com ela. Person of Interest é excelente, impressionante o salto qualidade que ela vai dando de uma temporada pra outra, sendo a 1ª temporada já muito boa. Excelente drama, super recomendo também, roteiro impecável, sem contar que já dei mais risada com ela na parte do alívio cômico do que com muita comédia por aí. Parabéns pelo texto, muito melhor e mais explicativo do aquele sem graça "bilionário contrata ex agente da CIA" que a gente vê por aí e não atrai em nada o público para a série.

    ResponderExcluir

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item