inspiration2

Das Pérolas Argumentativas: "Se a série tem audiência, é porque ela é boa"

Quando se trata de defender uma série, somos capazes de criar os argumentos mais absurdos possíveis. Estamos falando, afinal, de uma pa...


Quando se trata de defender uma série, somos capazes de criar os argumentos mais absurdos possíveis. Estamos falando, afinal, de uma paixão, e é um ultraje quando alguém ousa denegrir a imagem dela. É, eu sei. Também apelo quando alguém "ofende" uma série minha.

MAS, tem argumento que não dá.

Um que particularmente me deixa morta de raiva é o tal do se tem audiência alta, é porque a série é boa. Não tem coisa mais idiota. Mais burra. Mais raciocínio de menino de 5 anos. Porque todo mundo sabe, todo seriador sabe que isso NUNCA FOI VERDADE. Ou então a pessoa é mesmo muito tapada e nunca viu um índice de audiência na vida, ou nunca nem ouviu falar sobre. Aliás, é só uma questão de pensar. Olhem a televisão brasileira, por exemplo. Excelências como Domingão do Faustão e Big Brother Brasil são programas que batem recorde de audiência. A novela das 9, quanto mais esdrúxula, mais sucesso faz. Salve Jorge tinha gente reclamando até sair pelas tampas, mas todo dia da semana as senhoras (e senhores) do Brasil estavam lá na frente da TV acompanhando as aventuras super verossímeis de Morena e companhia. Minha própria mãe adorava, e minha prima não via nada de "anormal": ai, essa novela é muito boa, Arlane!

Porém, por mais incrível que seja, tem gente que adora dizer que, se a série faz "sucesso", é porque "obviamente" ela é boa.


Honestamente, já perdi a paciência. Mas, se antes eu me dava ao trabalho de responder, hoje nem olho mais. O ser humano falou essa baboseira, Arlane corre para a outra direção imediatamente. Não adianta, simplesmente não adianta discutir. Se a pessoa não é capaz de chegar à óbvia conclusão sobre o caso sozinha, você pode tentar conversar com ela por 3 dias, digitar textos de 6 mil caracteres no Face... o cérebro dela não vai funfar. Me desculpe.

No final das contas, ela vai continuar com esse mimimi barato e você vai estar matando cachorro a grito. Por nada.


Todavia, como sou definida pela teimosia, vou fazer um texto tentando explicar como é que a coisa realmente funciona. Vou colocar tabelas, números. Só não desenhos porque não sei desenhar. Mas aí vai. Mais essa tentativa. Sou brasileira e sou seriadora. Me deixa sofrer mais um pouquinho.

Embora definir se uma série é "boa" ou "ruim" seja uma questão de opinião, logo, de cunho individual, é certo que temos um aparente senso comum sobre determinados seriados. Iremos usar, então, tal senso como ponto de partida. Como exemplos das boas, podemos citar Fringe, Community, Veronica Mars, Mad Men, Breaking Bad, Parks and Recreation, Spartacus, Friends, Six Feet Under, Buffy, Hannibal, Awake, Sirens (UK), ChuckFirefly, The Good Wife, The Killing, The Chicago Code, Moonlight, Freaks and Geeks. Como exemplos das ruins, Two and a Half Men, qualquer CSI, qualquer NCIS, DexterThe FollowingAgents of S.H.I.E.L.D.Beauty and the Beast, Revolution, Smash, e por aí vai.

Fringe e Community sempre sofreram com baixa audiência, (a segunda já foi até "congelada"). Sempre sofreram o risco de serem canceladas, e só sobreviveram porque, por não sei qual milagre, os executivos ouviram os clamores dos fãs. É claro que existiram outros fatores (como o syndication e a intervenção divina), mas, quando se olha para os números da Series Finale de Fringe, fica perceptível que ela era um prato cheio para o cancelamento. Seu rating foi de 1.1, com 3,28 milhões de telespectadores. No mesmo horário, uma comédia meia cuia chamada Last Man Standing (ABC), marcava 1.3 com 6,62 milhões de telespectadores!

Pensando melhor, vamos olhar para a série inteira e também para duas de suas contemporâneas, todas exibidas pela Fox:


Observe que, conforme a qualidade foi aumentando, a audiência foi diminuindo. A 3ª temporada de Fringe é tida por muitos como a melhor e mais magnífica da série, e veja que da 1ª para ela temos mais de 4 milhões de telespectadores para menos. A 1ª temporada foi a mais procedural e menos profunda. Foi a partir da 2ª que Fringe mostrou a que veio e deu um salto de 1 milhão de metros de altura em mitologia, trama e enredo. Mas isso deveria significar aumento de audiência, correto?

Bones teve seus dias de glória, mas foi há muito tempo atrás. Agora, ela é só a sombra do que já foi um dia e, se tivessem amor no coração, os executivos deveriam tê-la cancelado há tempos. Mas, como que cancela se tem 9 milhões de pessoas dispostas a assistir? E como que tem gente ainda disposta a ver isso, Ave Maria? O povo já casou, já teve filho... agorinha vai ter é neto.

Glee certamente tem seus méritos, reconheço e respeito. Mas ela nunca chegou nem nunca chegará à unha do dedão do pé de Fringe. Nunquinha. E quando vemos que, enquanto Fringe marcava 5,83 milhões em seu auge, Glee ia de vento em popa com 8,71, dá um nó na garganta, não dá? Uma vontade de sair correndo, de bater na cara de alguém, de gritar até ficar mudo, de xingar o público americano de idiota, salafrário, babaca, cachorro e crápula... NÃO DÁ?

Aí você se lembra de quem fala "se a série tem audiência alta, é porque ela é boa"...


Agora vamos ver os números de 4 séries da NBC: Community, considerada muita vezes "genial", Parks, cujos fãs morrem de amores, Revolution, que não recebe nenhum dos elogios citados, e Law & Order: SVU, que está em seu 15º ano de procedural jurídico:


Parks e Community nunca nem chegaram perto da média de Revolution, a estreia que prometeu demais, mas falhou em trama, personagens, e basicamente no resto também. De acordo com os fãs de Community, a 2ª e a 3ª temporadas são as melhores, possuindo graus radioativos de genialidade. E, por mais injusto que seja, conforme a coisa foi melhorando, menos pessoas passaram a assistir. Parks teve seu ápice em 2009 e 2010 e, enquanto ela alcançava uma média de 5,1 milhões, Law alcançava 8,84. Tudo isto no mesmíssimo canal, meus caros.

Dentre as séries boas que citamos lá em cima, vale destacar algumas que foram canceladas antes da hora porque o público estava pouco se lixando para elas:
  • Veronica Mars: a CW cancelou Veronica faltando poucos episódios para terminar a 3ª temporada. Nem dignidade pra fechar a trama que estava acontecendo o canal teve.
  • Firefly: é um dos casos mais traumáticos no mundo das séries. Uma das séries mais criativas e divertidas já feitas não chegou a ter nem uma temporada completa.
  • The Killing: vive sendo morta e ressuscitada. Críticos e fãs morrem de elogiar, mas o AMC adora meter a faca na série.
  • The Chicago Code: era uma série policial INTELIGENTE. Tinha protagonista e ator coadjuvante extremamente competentes, e um vilão de tirar o chapéu. Os personagens eram muito bem construídos, assim como o enredo. Mesmo assim, a Fox meteu o facão nela antes de terminar a 1ª temporada, com apenas 13 episódios exibidos.
  • Moonlight: muito antes de True Blood ou TVD ou miserê, já havia uma série maravilhosa sobre vampiros. E ela ainda contava com Jason Dohring (o Logan de Veronica) contracenando com Alex O'Loughlin (o Steven de Hawaii 5-0). Mas mesmo assim foi pro saco com apenas 16 episódios.
  • Freaks and Geeks: considerada cult e referência pop hoje, foi completamente desprezada no seu tempo. Cancelada com 18 episódios.
  • Awake: uma das melhores estreias de 2012. Começou com 2.0 na demo, terminou com 0.9. Começou com 6,24 milhões de telespectadores, terminou com 2,87.
Aí você se lembra de quem fala "se a série tem audiência alta, é porque ela é boa"...



Olhemos a evolução da audiência -- tendo sempre em mente a qualidade -- de 3 séries da CBS: Two and a Half Men, The Good Wife e The Big Bang Theory:


Enquanto Boa Esposa, conhecida pelos ilustres convidados e excelentes casos jurídicos, só cai, TAAHM se estabiliza em meio a troca de protagonista, trama "sem evolução", e àquelas piadas que todo mundo já está careca de ouvir. Já TBBT só aumenta, na mesma proporção que vai repetindo suas fórmulas, outrora originais. E TGW, de léguas a melhor, mais bem trabalhada e com mais conteúdo entre as 3, vive sempre com a corda no pescoço, sendo renovada "só" porque traz prêmios para o canal. Pois é.

E que tal se a gente comparar The Walking Dead, uma das séries mais instáveis e superestimadas da atualidade, com Breaking Bad, uma das melhores séries da atualidade? Vamos olhar as duas em suas últimas temporadas exibidas:


Nem em seus melhores dias, quando finalmente TWD faz alguma coisa que pode ser chamada de ação, ela supera Breaking Bad. No quesito evolução, enquanto a primeira vive de altos e baixos, alternando episódios lentos, parados e enfadonhos, com outros cheios de zumbis esfomeados, cérebros expostos, e mortes pra chocar, a segunda apenas cresceu em tensão e substância, culminando em perfeições como Face OffOzymandias e Felina. O que em The Walking Dead se equipara a um Ozymandias?

Fato: Breaking Bad NUNCA teve um episódio com mais audiência que The Walking Dead. E as duas são do mesmo canal, portanto, com a mesma possibilidade de alcance.

Aí você se lembra de quem fala "se a série tem audiência alta, é porque ela é boa"...


O que a gente tem que ter em mente é que

Audiência ≠ Qualidade

mas, sim,

Audiência = Reconhecimento do Público.

E o reconhecimento do público é algo que independe completamente da qualidade da série. Pelos números que a gente viu, inclusive, parece que, conforme a "qualidade vai aumentando", menos pessoas se interessam na série. Tal raciocínio até faz sentido quando a gente pensa que o telespectador, depois de um dia cheio de trabalho, prefere se sentar na frente da sua TV e rir com as babaquices de Last Man Standing do que ficar quebrando a cabeça e surtando com Fringe. Faz todo o sentido.

Mesmo assim, prefiro não generalizar. Cada caso é um caso. Há muita série boa sem reconhecimento e subestimada, mas também há série boa que é sucesso, como Lost, SeinfeldFriends, Modern Family, e Game of Thrones. E, embora tenhamos usado os números brutos de telespectadores para ilustrar nossas comparações, para analisar o que "é sucesso" e "o que não é" leva-se em conta mais do que isso. Dentre os fatores, há:
  • o Rating: porcentagem da audiência que abrange o público-alvo do mercado publicitário, ou seja, pessoas entre 18 e 49 anos;
  • o Syndication: é a venda da série para ser exibida em um canal a cabo. No entanto, essa venda só pode acontecer se tiver no mínimo 100 episódios. Fringe, por exemplo, chegou exatamente a este número e foi vendida.
  • a repercussão nas redes sociais: não é à toa que atores, produtores e séries agora têm perfis nas redes sociais e conversam com seus fãs enquanto o episódio é exibido, usando as hastags para fazer a marca que divulgam se sobressair. Isso tudo é devidamente transformado em números e analisado como uma forma ou extensão da audiência.

De qualquer forma, fica claro que audiência é audiência, qualidade é qualidade, e Xuxa nunca foi rainha de ninguém. Pelo amor de Deus e por tudo o que for sagrado pra você, nunca mais diga que uma coisa tem a ver com a outra.

E caso você se depare com algum seriador falando dessas patotas por aí, não discuta, não xingue, não se altere, não cometa um assassinato. Isso só vai te dar gastrite e cadeia, meu caro. Ao invés disso, faça duas coisas: 1 - dê um Batman-Slap na cara dele:


2 - passe o link desse post e se livre de ficar explicando essas chaturas like a boss.


Fontes: Wikipédia e TV by Numbers.

Das Pérolas Argumentativas: série de 3 ou 4 posts (dependendo da coragem da autora...) que tentarão "desmistificar" argumentos que todo mundo sabe que não são verdade, mas que tem gente turrona que adora repetir. Tem alguma sugestão de tema? Deixe aí no seu comentário ;)
Reações: 

Relacionados

Veronica Mars 7880252469756862440

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (12) Comentários via DISQUS

  1. Que isso, falar q NCIS não o LA é ruim ce tá brincando. A série é sensacional, tudo o que vc disse sobre The Chicago Code é o que tem em NCIS >> 'uma série policial INTELIGENTE. Tem protagonista e atores coadjuvante extremamente competentes, e um vilões de tirar o chapéu. Os personagens são muito bem construídos, assim como o enredo.'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ariel, eu me baseei no "aparente senso comum", não em uma opinião particular. E o aparente senso comum não é o certo, é apenas a impressão que existe, seja do que as pessoas ou os críticos falam.
      Não duvido que NCIS LA seja realmente boa. Mas não era essa a questão quando citei a série.
      Valeu pelo comentário!

      Excluir
    2. deve ser pq ela é derivada de uma série mt ruim, mas tbm não duvido q seja boa

      Excluir
    3. O problema de NCIS e CSI é que a primeira temporada foi "revolucionária", "carne nova na praça", os episódios eram interessantes, te prendiam até o fim. Mas então começou a repetir e continua repetindo, claro que os crimes não são iguais, mas cá entre nós, sempre a mesma coisa em todos os eps? Sem nenhum ship que serviria também? Como em Bones,- que uma hora encheu o saco - que acho que a maioria concorda comigo quando digo, que teve uma hora que não assistíamos Bones pelos crimes e sim pelos personagens. Mas CSI não tem isso, não tão forte quanto as outras.

      Excluir
  2. Concordo que realmente esse argumento é muito ruim para qualquer coisa (série, novela, filme, música), mas o que me deixou desconcertada mesmo foi Friends aparecer na lista de séries boas. Minha opinião é suspeita, detesto tanto que nunca consegui assisti um episódio inteiro. Mas quem gosta assume com tanto constrangimento que sempre pensei que fosse uma porcaria mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá, Helen!
      Friends está na lista das "boas" porque a maioria das pessoas que eu conheço dizem gostar muito dela, muita gente que não tem o costume de ver série já viu e gosta de Friends, e praticamente todos os materiais que vi pela internet sobre ela são positivos.
      Abraços e obrigada pelo comentário!

      Excluir
    2. sim, sua opinião é BEM suspeita

      Excluir
  3. A pessoa escreve um post bacana (e sensato) como esse e aparece gente pra discutir que série A ou B é ruim... Affff.

    Parabéns, Arlane, muito bom ler um texto lúcido sobre algo que deveria ser óbvio, mas não é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cristal!
      Muito bom saber que você gostou do texto!
      Valeu pelo comentário :smile:

      Excluir
    2. isso aí, cristal! parece q, julgando pelos comentários, só vc entendeu o objetivo do post

      Excluir
  4. Concordo com o objetivo central da postagem! Seu texto é muito bem escrito, embora eu discorde de algumas coisas, algumas das séries boas/ruins não acho estarem corretos, como "Two and a half men"(Pré-Problemas do Charlie Cheen e Pré-A.Kutcher claro!) com temporadas chegando à casa de 78%+ a 92%+(Ambos de audiencia) no site especializado Rotten Tomatoes assim como "The Big Bang Theory" chegando a 83%(Mínimo) pela audiencia e 3 de 6 temporadas com 100% pelos críticos.

    Eu tenderia mais ao lado do "Não necessariamente" à questão de se a "série tem audiência alta, é porque ela é boa" do que "Isso está errado", até porque a audiencia não é determinada SOMENTE por qualidade(Como voce bem disse),mas a qualidade tambem influencia. Há muitos outros fatores como Horário, Dia da semana, Rival, e etcs.

    Por exemplo imaginando que a série EEF(É,é a sigla do site) é "boa" tendo potencial de 5 milhoes de telespectadores, e passa no dia X (Com previsão de 20 milhões de telespectadores do publico alvo em certo horário) como ela vai chegar aos 5Mi se no mesmo dia e horário é exibida uma série "Excelente" com espectativa de 18Mi+ de telespectadores do mesmo publico alvo?(Horário é uma questão muito importante, por isso há diversos manejos de temporada para temporada, as vezes até no meio)

    Outra coisa é a comparação de temporada a temporada, quando voce compara a audiencia temporada a temporada voce tem de levar em conta fatores como: 1-O que passa no mesmo Horário?(Meus rivais mudaram? Algum deles é um "Big hit"? Tem uma série novata que promete?) 2-Quão boa(Ou Ruim) foi a temporada anterior?(Leia-se: "A audiencia piorou! A própria série levou a isso ou não?")

    Na minha opnião The Walking Dead e Revolution (Que está decaindo na T2, mas não acho ter falhado em trama[Opnião MINHA]) tem o fator pós-apocalíptco usado como vantagem, mesmo não sendo séries incrivelmente bem elaboradas e inteligentes(Levando em conta a série como um conjunto). Respeito, mais discordo da sua opnião sobre The Walking Dead ser instável e superestimada. Acho válida a comparação mas eu culparia mais a AMC nessa diferença de audiencia. Discordo de terem a mesma possibilidade de alcance, Já que o canal investiu e investe muito mais no TWD do que em BB.

    Quero deixar claro que não sou fã assíduo de nenhuma série listada, assisto ou assisto +- 2/3 das citadas e não estou defendendo uma e/ou outra.
    Desculpem a extensão, rs, é que quando começo a falar de séries... já sabe.

    Parabens pelo site, mesmo tendo lido pouca coisa gostei do conteudo, inteligente e de bom gosto(Principalmente os 1as Impressões). JÁ ESTÁ NOS MEUS FAVORITOS.
    Gostaria de sugerir um review com sua opnião sobre uma série que acho interessante:
    Love/Hate (Irlandesa, atualmente indo para a sua 5ª Temporada)

    ResponderExcluir

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item