inspiration2

The Originals: uma série sambásticamente porra louca, por Jenniffer Fógos

The Originals , a série onde o mocinho é o vilão e o vilão é o mocinho, que não é tão mocinho assim. QUE ISSO, BRAZEL!


The Originals, a série onde o mocinho é o vilão e o vilão é o mocinho, que não é tão mocinho assim. QUE ISSO, BRAZEL!

Então vamos lá.

Atenção: spoilers até o 1x09, Reigning Pain in New Orleans


Quem assistiu The Originals até aqui, já viu que essa série veio pra fuder com nossos corações e derreter nossos cérebros. Além de ter um dos melhores elencos da história de gostosice da CW, essa série tem algo diferente. Normalmente, o tema das séries é “mocinho se apaixona pela mocinha e um vilão fará a vida deles difícil enquanto o mundo continua girando pro mesmo lado”. Em The Originals o tema é “oi?”

Exatamente isso que eu quis dizer.

Vocês conseguem realmente saber qual a trama principal?

Ou quem é o protagonista?

The Originals é tão rotativa que me dói na alma a perfeição. Tanto temos Marcel reinando num episódio, como temos Klaus reinando no outro, como temos Rebekah sendo a Queen do dia e Elijah sendo sempre o Lord. E a gravidez da Hayley, que supostamente era o plot principal, vai apenas permanecendo como um ponto morto na série… ela vai continuando grávida porque, claramente, não abortou. A única coisa que a gravidez dela influenciou foi para servir de motivo para Klaus querer a cidade de volta, ou Elijah obrigá-lo a aceitar o acordo com as bruxas… ou ou ou… protagonismo nenhum… mas vai estando envolvida em tudo.


Essa série é como uma teia em que todas as linhas de pensamento são devidamente desenvolvidas e finalizadas formando aquele padrão incrível, e que nos faz ficar grudados como insetos esperando ser sugados até o tutano por cada episódio.

Se eu tiver que comparar a TVD, The Originals pra mim é um upgrade.

Eu adoro o fato de Davina ser a única adolescente problemática da série. E todos os outros serem adultos com passados fudidos e obscuros. Eu adoro a forma como cada um deles tem um ponto fraco que pode estilhaçar a pose de vampiros fodões que eles desfilam pela nossa tela em segundos. É uma sensação bastante estimulante que 70% das personagens sejam consideradas fodas e “ruins” de certa forma. Não é como se você tivesse alguém que é totalmente vulnerável e que precisa ser protegido por x ou y. Em The Originals, de um jeito ou de outro todos podem cuidar dos seus narizes e causar problemas a quem atravessar seu caminho. E é nesse cruzamento de intenções, traições e objetivos de morte que nós somos deslumbrados por uma série que até o momento está impecável, com um andamento incrível e desenvolvendo cada personagem de um modo especial, fazendo com que cada um seja protagonista a seu tempo, e que todos façam realmente parte de algo maior.


The Originals desafia o nosso olhar viciado em mocinhos que sofrem eternamente e que precisam de ajuda porque o mundo está contra eles nessa luta solitária em que “só o amor vencerá”, eventualmente. The Originals nos mostra como funciona uma família disfuncional. Nos mostra como as pessoas têm que lidar diariamente com suas mágoas e seguir tropeçando nas pessoas que tentam destruir tudo o que você construiu na vida. The Originals nos mostra que aquilo que nós temos de melhor é nossa capacidade de adaptação. Se você se adaptar você reinará, tarde ou cedo. Claro que ajuda bastante ser um hibrido imortal, mas o fato de você conseguir estar no lugar onde precisam de você na hora certa, para jogar os dados do seu jeito… é o que faz com que o jogo termine como você quer.

The Originals é um grande jogo, onde cada jogada é a grande vitória, mas apenas temporária. Você precisa continuar jogando para continuar vencendo.


Mas nada é de fato perfeito, e para comprovar essa premissa: Caroline não está em The Originals. E eu continuo sofrendo cada vez que ela não é mencionada e que o ship do meu coração é perdido no abismo entre TVD e TO… chorarei lágrimas de sangue se Klaroline nunca acontecer em The Originals. E chorarei lágrimas de sangue se acontecer também. Klaroline seria o meu presente serimaníaco. E eu adoraria que acontecesse em TO e não em TVD por motivos simples: TO é mais adulta, é mais obscura, tem menos abobrinha e mais putice! #EtenhoDito


Enfim…

The Originals é a minha nova série preferida. E me deixa tão louca que não consigo nem ter uma linha de raciocínio ou escolher algo especifico da série para falar. É tudo tão amarradinho, tão erradamente certo, que só quem assiste entende a confusão mental que ela provoca no ser humano.

Se você ainda não vê The Originals, veja.

Se te disseram que você precisa ver TVD para ver The Originals, te enganaram.

Se te disseram que The Originals é apenas mais uma história de vampiros, te enganaram.

Se te disseram que The Originals é apenas mais uma série teen dentro da modinha, também te enganaram.

Não se deixe enganar, se deixe encantar. Assista The Originals e surte comigo no Twitter #PorqueEuSouDessas



Guest Post Este texto foi escrito por um brilhante e ilustre autor convidado, e faz parte de uma série de posts sobre as séries favoritas e os danos que elas causam no coração da gente.

Guest
A Autora
Jenniffer Fógos  Sonho de consumo: que os dias tivessem 50 horas. Curiosidade: acompanha mais de uma dezena de séries, leu centenas de livros, e nunca encontrou um personagem com quem se identifique totalmente. Licenciada em Biotecnologia, ela procura por provas de que não é um ET. Geek assumida, também sofre de NSBE (Níveis de Seriemania Bárbaramente Extenuantes). No Twitter pode ser encontrada no perfil @onceupona_bite.
Reações: 

Relacionados

The Originals 8618756997252104510

Postar um comentário Comentários via BLOGGER (3) Comentários via DISQUS

  1. Oi, venho acompanhando o site, pois um amigo escreve para o mesmo, e tenho gostado muito dos textos que Li. Porem venho pedir como leitor, para que quando forem falar de Spoilers sejamos avisados previamente, para que assim possamos não ser pegos de surpresa. Mas repito, curto muito o trabalho de vcs. Um grande abraço para toda a Equipe.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá, Felipe! Bom saber que você vem gostando dos textos do blog!

      Recebi seu recado e já coloquei o aviso de spoilers aqui. Desculpe por não ter feito antes.
      Mas, quando se trata de Reviews, seja de um ou mais episódios, de uma temporada ou de uma série inteira, naturalmente haverão spoilers, pois review é um texto para quem já viu do que está sendo falado.
      Quanto aos Guests Posts, como este, estou colocando avisos sempre que necessário, e agradeço o aviso para colocar neste em particular.

      MUITO obrigada pelo comentário e pela sugestão!
      Continue visitando a gente e sinta-se à vontade para nos dar mais ideias, caso deseje. É muito bom ter o feedback de um leitor. :smile:

      Excluir
  2. Tenho uma opinião muito parecida a sua quanto a essa série. Ela realmente é surpreendente e até te deixa sem saber para quem torcer ou quem odiar. Klaus é um lixo, mas como não se envolver com as raras demonstrações de "humanidade" como no relacionamento com a sua writer, ou ao achar que sempre vai ser traído pela família. Ou na bipolar Rebeca que oscila entre assassina fria, donzela apaixonada, irmã carente e heroína do dia? O clima sinistro de New Orleans é tão perfeito para a obscuridade sobrenatural da série. Realmente cativou. Espero duas coisas: que haja um crossover com TVD em breve, já que tem tudo a ver que convirjam a outro ponto comum além Tyler e que a história não se esgote nessa temporada.

    ResponderExcluir

Para inserir no comentário:

# Um vídeo: [video]link-do-video-do-youtube[/video]
# Uma imagem: [img]link-da-imagem[/img]
# Um emoticon: clique na carinha acima da caixa de comentários, copie o nome do emoticon e cole.

Comentários educados são sempre benvindos.

emo-but-icon

EeF na Rede


   

Comentários

Arquivo

Categorias

Séries

Tags

Agenda de Episódios

Recentes

Twitter

Facebook

item